Se o blues e o rock'n'roll sempre tiveram um relacionamento chegado, a mistura de ambos os estilos só aconteceu no final dos anos 60, quando a distorção e os power chords começaram a ter lugar no reportório de bluesmen como Lonnie Mack. Rapidamente, uma série de bandas foram influenciadas pelo som e, com o advento da indústria musical, nomes como Rolling Stones, Yarbirds ou Animals chegaram ao estrelato mundial. Ao longo dos anos, o estilo derivou em sub-géneros como o hard rock, o heavy metal ou o stoner rock, ficando o seu formato mais "puro" datado algures nas décadas de 60 e 70. Até agora. Existe, desde há alguns anos, uma nova geração de músicos interessada em recuperar o blues rock na sua génese mais pura e o público tem respondido com entusiasmo, compra de discos e plateias cheias.

Publicidade
Publicidade

A lista que vos apresentamos neste artigo de duas partes contém alguns dos grupos que misturam de forma mais purista, entusiasta e talentosa o som clássico do blues, a alma do R'n'B e a energia do rock'n'roll.

Rival Sons

Oriundos da Califórnia, os Rival Sons foram um dos primeiros grupos norte-americanos a redescobrir os encantos do blues rock clássico. O álbum de estreia «Before The Fire», de 2009, chamou logo a atenção da editora britânica Earache Records e de uma série de promotores de concertos, que não hesitaram em colocá-los em primeiras partes de espetáculos de nomes como AC/DC, Alice Cooper ou Kid Rock. Desde essa altura, os Rival Sons editaram mais quatro trabalhos de originais, sempre a apurar um sentido estético muito R'n'B/blues/rock. O último, «Great Western Valkyrie», entrou diretamente para a 14.ª posição da tabela de vendas britânica e trepou ao top da tabela de vendas de novos artistas da Billboard.

Publicidade

The Temperance Movement

Considerados a resposta britânica ao movimento blues rock americano, os escoceses The Temperance Movement entraram no mapa dos fãs do estilo com apenas um EP lançado em 2012 e um disco de originais, homónimo, editado no ano seguinte. O talento do grupo é inegável e a secção rítmica, composta pelo ex-baixista de Jamiroquai Nick Fyffe e pelo ex-baterista dos The Waterboys Damon Wilson, empresta uma solidez invulgar à #Música do projeto. Podem ir do hard rock inspirado nos AC/DC à mais sentida balada blues no espaço de poucos minutos e na energia do seu vocalista Phil Campbell parece estar o segredo da atração do projeto. #Entretenimento