O escritor norte-americano James Patterson ofereceu este ano mais de 1 milhão de dólares a várias pequenas livrarias independentes, espalhadas pelos Estados Unidos. A promessa, feita no início do ano, ficou completamente cumprida esta semana, quando Patterson fez uma doação de mais de 470 mil dólares a 81 lojas de venda de #Livros. Trata-se de uma iniciativa rara e que, do ponto de vista de Portugal, parece completamente insólita: onde é que se viu um escritor a fazer doações a livrarias?

Patterson personifica, porém, um outro mundo do negócio dos livros: este ano as suas doações ultrapassaram, como prometido, o milhão de dólares, tendo como destinatárias 175 livrarias independentes, em 41 estados! "Isto é para que as livrarias tenham uma quadra festiva mais feliz. É para que os pais possam oferecer mais livros aos seus filhos; é para que as autoridades locais despertem para o facto de que as livrarias são essenciais para o nosso modo de vida; é para que haja uma melhor cobertura mediática dos livros, dos vendedores, dos editores, para uma América com mais literacia!", explicou James Patterson, numa declaração pública sobre o assunto. Uma iniciativa muito interessante, numa altura em que o mundo da #Literatura vive excitado com os novos 12 contos de Harry Potter escritos por J.K. Rowling

No seu site oficial, é comunicado o desejo de Patterson em continuar esta campanha em 2015, com iniciativas inovadoras, e ainda uma nova aposta em atrair os mais jovens para a leitura, apoiando as bibliotecas escolares. 
Patterson é actualmente um dos escritores norte-americanos mais conhecidos, tendo-se tornado notado pelos seus romances de suspense. O seu personagem Alex Cross é um dos mais populares. Os seus livros infantis, e para adolescentes, também tiveram muito sucesso, e Patterson não dormiu à sombra desse sucesso: em 2005 fundou a James Patterson Page Turner Awards, com o objectivo de doar mais de 850 mil dólares a pessoas, empresas, escolas e outras instituições para um incentivo à leitura e ao entusiasmo pelos livros. Em 2008 passou a ajudar, numa outra iniciativa, pais, professores e bibliotecários.