Há algumas semanas, Michael Stipe tinha lançado a promessa de voltar a cantar. Cumpriu-a esta segunda-feira, numa aparição surpresa no Webster Hall, em Nova Iorque. Perante uma plateia que aguardava o concerto de Patti Smith, figura maior da #Música punk, o ex-vocalista dos R.E.M. surgiu em palco, protagonizando, assim, a primeira parte do concerto da sua compatriota.

Foram seis as canções interpretadas pelo músico, numa actuação curta e repleta de versões de outros artistas, mas onde também couberam duas canções dos R.E.M. Entre as covers, contaram-se "Lucinda Williams" (original de Vic Chesnutt), "Wing" (de Patti Smith), "Hood" (composta por Mike Hadreas, também conhecido como Perfume Genius) e, ainda, o clássico "New York, New York" (popularizado por Liza Minnelli e Frank Sinatra).

Publicidade
Publicidade

Já da banda que integrou ao longo de trinta anos de carreira, Michael Stipe optou por cantar temas menos óbvios: "New Test Leper" e "Saturn Return".

Recorde-se que, desde a dissolução do seu grupo em 2011, têm sido poucas as aparições públicas de Michael Stipe, tendo este concerto sido, em termos práticos, a sua primeira aparição a solo. Para além da voz, o artista também se encarregou de assumir um teclado, o que constituiu outra novidade por comparação às performances típicas dos R.E.M., em que o cantor raramente tocava instrumentos. Perto do final da sua breve actuação - que contou com o apoio de dois músicos, entre os quais se incluiu a filha de Patti Smith - Michael Stipe chegou a dirigir-se ao público nova-iorquino. Em tom jocoso, o artista explicou que a cantora a quem estava a assegurar a primeira parte lhe pedira para "falar muito para que pudesse ocupar algum tempo" do espectáculo.

Publicidade

Patti Smith e Michael Stipe já colaboraram artisticamente no passado. A cantora marcou presença no famoso tema "E-Bow the Letter" dos R.E.M., tendo também participado numa canção do último disco da banda originária da Geórgia, Estados Unidos. Em declarações recentes, o músico anunciou que a banda jamais se voltará a reunir, embora não tenha descartado a hipótese de actuar a solo - algo que se verificou esta segunda-feira.