João Paulo era o homem das marionetas. Entrou no Teatro de Belomonte, ou também conhecido por Teatro de Marionetas do Porto (TMP), quando as paredes ainda deitavam o cheiro a tinta. Foi ele quem criou, no início da década de 90, o TMP, tendo encenado todos os espetáculos apresentados pela companhia, entre 1988 e 2010. Natural do Porto, teve formação na área da animação sociocultural, do teatro e das marionetas.

Para a RTP1 criou e dirigiu quatro séries de programas infantis, nomeadamente "Os Amigos do Gaspar" e "No Tempo dos Afonsinhos". Publicou nove livros de literatura infantil. A sua primeira obra "Dás-me um tesouro?" foi premiada pela Associação Portuguesa de Escritores e, segundo Isabel Barros, viúva e atual diretora artística, era "um livro que dava a sensação de que ele não ia continuar a escrever." Isabel contou ainda que "a motivação dele para com as crianças sempre foi muito grande".

Publicidade
Publicidade

Sérgio Ferreira, antigo aluno na Escola Baleteatro, afirmou que junto de João Paulo "era impossível não estar com um sorriso". Sérgio acrescentou ainda que "ele foi uma grande ajuda na evolução como ator relativamente à imaginação e convicção com que dizia as coisas". Francisco Mota, investigador e colecionador de marionetas, disse que "João Paulo é um nome na história da marioneta portuguesa. Era um entusiasta pelo Teatro Dom Roberto. Foi ele que reativou o Teatro Dom Roberto. "A sua produção artística foi vasta, entre o teatro Dom Roberto e "MakeLoveNotWar". João Paulo dirigiu cerca de cinquenta espetáculos.

Museu nasce de um sonho

Apesar das marionetas terem milhares de anos de existência, João Paulo Seara Cardoso ainda era apaixonado por estes bonecos com vida, o que levou à criação do Museu de Marionetas do Porto.

Publicidade

Em 2002, João Paulo Seara Cardoso, encenador e diretor artístico do Teatro de Marionetas do Porto, teve a ideia, baseada no seu sonho de criar um Museu de Marionetas no Porto. O sonho de João Paulo era partilhar o espólio da companhia que incluía as criações que foram feitas durante 25 anos. De acordo com Isabel Barros, "para João Paulo fazia sentido haver um museu, onde pudesse partilhar as marionetas numa outra versão sem ser em palco."

Ainda em 2002, João Paulo alugou o espaço n.º 22 da Rua das Flores. O edifício na altura estava praticamente em ruínas. A diretora artística explicou que há dois motivos para o museu estar situado na Rua das Flores. "Um é a questão da proximidade com o Teatro Belomonte e o outro é a escolha de estar no centro histórico, porque um museu com estas características num lugar onde passam muitos turistas, obviamente que atrai mais pessoas."

Segundo o site oficial do Museu das Marionetas do Porto, este espaço cultural foi inaugurado a 3 de fevereiro de 2013, data de aniversário de João Paulo Seara Cardoso.

Publicidade

Porém, a abertura oficial da instituição, foi feita por Isabel e surge na comemoração do 25.º aniversário da companhia Teatro de Marionetas do Porto, expondo as personagens que deram vida a 25 anos de história e de atividade do TMPe ao mesmo tempo inscreve na cidade a obra do seu autor.

O imóvel de 3 pisos e uma cave tem a assinatura de José Manuel Gigante, o mesmo arquiteto que em 1993 fez o projeto do Teatro de Belomonte, um excelente exemplo de renovação de prédio histórico, que se destacou, na categoria de Reabilitação, no âmbito do Prémio nacional de arquitetura. O museu, desde que abriu ao público, já recebeu mais de 5 mil visitantes.