A vila de Cascais, a cerca de trinta minutos de Lisboa e virada para o Atlântico, é hoje um dos locais mais visitados por turistas nacionais e estrangeiros. Para conhecer a sua riqueza histórica, existem locais de paragem obrigatória. No centro da Vila de Cascais está localizada a Praia da Ribeira, mais conhecida por Praia dos Pescadores, pois ali existe um cais onde o peixe é depositado e comercializado na lota. Perto está a Marina de Cascais, onde está implantada a praia de Santa Marta, de areal muito reduzido, pertencente ao Parque Natural de Sintra-Cascais, junto ao Museu-Biblioteca Condes Castro Guimarães.

A Torre de S.

Publicidade
Publicidade

Sebastião, atual Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães, foi edificado no início do século XX por Jorge O'Neil. Em 1910, o palácio foi vendido aos Condes de Castro Guimarães, onde colecionaram peças de arte, mobiliário de várias épocas e a valiosa Crónica de D. Afonso Henriques, de Duarte Galvão. Com a morte do Conde em 1927, a casa e a propriedade foram em testamento entregues ao Município de Cascais, para se tornarem Casa-Museu e Jardim Público, tendo sido inaugurado a 12/07/1931. Ainda em pleno centro da vila de Cascais existe, entre falésias e de acesso pedonal, uma praia pequena e de águas calmas, a Praia da Rainha, pois ali a Rainha D. Amélia tomara banhos durante as estadias da família real. Esta praia tem na sua lateral uma das ruas mais antigas do centro histórico, a Rua Frederico Arouca, também conhecida por Rua Direita, envolvida por comércio de rua, restaurantes, hotéis, lojas e serviços variados.

Publicidade

O Marégrafo de Cascais foi concebido por J. Wagner em 1877 e o primeiro a ser instalado em Portugal com o objetivo de registar as alturas do nível do mar e colheita de dados de correntes e marés. Um dos primeiros observatórios na Europa, onde foram obtidos resultados do nível médio das águas em toda a costa portuguesa, que contribuíram para o levantamento geodésico de Portugal. O Museu do Mar por sua vez, foi fundado pelo Príncipe Carlos em 1879, como local de prática desportiva. Mais tarde, foi reinaugurado como Museu do Mar Rei D. Carlos e abarca oceanografia, zoologia, botânica marinhas ou etnologia marítimas e arqueologia subaquática.

O Palácio da Cidadela de Cascais, um dos monumentos mais antigos de Cascais, remonta a uma torre medieval construída no reinado de D. João II, que compreende também o Forte de Nossa Senhora da Luz de Cascais e a Torre de Santo António de Cascais. Após a restauração da independência de Portugal, o projeto foi retomado e a Cidadela foi erguida, para defesa do trecho da costa, impedindo o acesso à capital. Em 1870, D. Luís adaptou a antiga casa do governador da Cidadela a residência de Verão, onde acabaria por falecer, em 1889. O seu filho, rei D. Carlos, instalou na Cidadela, o primeiro laboratório de biologia marítima em Portugal. Hoje em dia, o Palácio é tutelado pela presidência da República e, após décadas desativado, reabriu ao público a 23 de Novembro de 2011. #Turismo