A empresa Parques de Sintra venceu, pela segunda vez consecutiva, o prémio World Travel Award para "Melhor Empresa do Mundo em Conservação". Considerados "óscares do turismo", os prémios são atribuídos anualmente às melhores empresas do sector. Eles acontecem através da votação do público e de 160 especialistas na área. A disputar o prémio estavam a &Beyond em África, a Chumble Island Coral Park na Tanzânia, Conservation International na Virgínia, Estados Unidos, Damaraland Camp na Namíbia, a Nigaloo Blue Dive na Austrália e a Shamwari Game Reserve na África do Sul, detentora de 15 prémios World Travel Award (de 1998 a 2012).

"Consideramos que a razão principal para a Parques de Sintra ter recebido este prémio se prende com o reconhecimento público do trabalho que temos desenvolvido, tanto ao nível do restauro e conservação dos parques e monumentos sob a nossa gestão, como da capacidade de atracção de visitantes para observarem os resultados", explicou-nos Maria Alcaparra, responsável pela coordenação da comunicação da empresa, quando questionada pela razão que levou ao galardão pelo segundo ano.

Publicidade
Publicidade

Segundo a responsável, "aberto para obras" é quase como um lema. "Implica que os projectos de recuperação e restauro sejam realizados, sempre que possível, à vista do público. Este factor potencia o acompanhamento do trabalho e consequente valorização da sua dimensão e exigência técnica. Adicionalmente, é visível para todos os visitantes a evolução ao nível da valorização dos espaços e da recuperação das suas características originais, com rigor histórico acompanhado da utilização das melhores técnicas atuais", frisou.

Da empresa fazem parte o parque e o Palácio da Pena, bem como os jardins e palácio de Monserrate, o Castelo dos Mouros, o Convento dos Capuchos, o jardim e chalet da Condessa d'Edla, o Palácio Nacional de Sintra e Queluz, e ainda a Escola Portuguesa de Arte Equestre nos jardins de Queluz.

Publicidade

No total, só em 2013 mais de 1 700 000 pessoas passaram pelos espaços geridos pela empresa, o que gerou cerca de 15 milhões de euros em receitas. De referir que as mesmas são provenientes das receitas de bilheteiras, cafetarias, lojas e aluguer de espaços. "Estas receitas são depois aplicadas directamente na gestão, recuperação e manutenção do património que se encontra à guarda da Parques de Sintra", sublinhou. Quanto ao local mais visitado em 2013, Maria garantiu-nos que foi o parque e o Palácio da Pena, ao atingir cerca de 780 mil visitantes, seguido do Palácio Nacional de Sintra, com cerca de 400 mil. #Entretenimento #Curiosidades