Entre 8 de fevereiro e 17 de maio de 2015, encontrar-se-á em exibição, no Museu de Arte de Montclair (MAM), o primeiro grande levantamento de arte produzida nos Estados Unidos da América (EUA), nos anos 90. Mais precisamente, entre 1989 e 2001 - desde a queda do muro de Berlim até ao 11 de setembro. Apresenta aproximadamente 60 trabalhos de 45 artistas (incluindo instalações, pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, vídeos e arte digital). Encontra-se organizada em torno de três temas principais: políticas de identidade, revolução digital e globalização.

O título da exposição remete-nos para a canção de 1992 dos Nirvana, de Kurt Cobain (talvez a banda mais emblemática dos anos 90), evidenciando as questões de identidade, que se tornaram mais complexas por efeito das tecnologias digitais e da migração global e que se refletem no domínio artístico.

Publicidade
Publicidade

A exposição demonstra precisamente essa heterogeneidade identitária crescente no mundo da arte, durante aquele período, à medida que a diversidade racial, de género e de orientação sexual ganhava notoriedade.

Os anos 90 foram uma década de profunda mudança no mundo artístico, num contexto social, cultural e político, marcado pelo surgimento do grunge, pela revolução tecnológica introduzida pela Internet, pela dissolução das antigas fronteiras geopolíticas e emergência de guerras civis no continente africano e pelos efeitos da crise da SIDA. É uma época de conflitos e revolta contra o desrespeito por direitos civis e o conservadorismo cultural, sobretudo nos EUA, aos quais o mundo da arte responde com trabalhos ainda mais provocatórios, expressando indignação com a privação de direitos das minorias.

Publicidade

Outras características da arte do período consistem em:

  • maior introspeção dos artistas, voltando o olhar para os objetos da vida quotidiana e pessoas nos seus círculos sociais mais próximos;
  • interesse pelas subculturas;
  • transgressão do comportamento normativo, nomeadamente a nível sexual;
  • questionamento dos estereótipos de raça e género.

A curadoria da exposição está a cargo de Alexandra Schwartz, juntamente com Kimberly Siino.

(Baseado na apresentação da exposição do Museu de Arte de Montclair e no texto de Alex Allenchey "Como a rutura dos anos 90 revolucionou o mundo da arte".) #História