Não é preciso ligar à APAV, nem é culpa do filme As 50 Sombras de Grey. A culpa é da banda Xutos & Pontapés, que actuou ontem no Coliseu do Porto, num concerto que animou namorados, casados e solteiros. O concerto inseriu-se na iniciativa "Às vezes o amor", patrocinada pelo Montepio, que levou #Música a oito cidades portuguesas no dia de festejar o amor.

Sérgio Godinho canta que "Às vezes o amor, no calendário, noutro mês, é dor, é cego e surdo e mudo", mas não neste mês, não ontem. Ontem foi dia de festejar, ver um bom concerto, ouvir boa música e cantar a uma só voz. O Coliseu do Porto abriu portas para a banda Xutos & Pontapés, que deu um espectáculo acústico, algo que já não acontecia há seis anos.

Publicidade
Publicidade

Foram quase duas horas de concerto, com um alinhamento especialmente preparado para o dia de São Valentim, que ontem se celebrava. Os veteranos do rock português tiveram ainda oportunidade para mostrar alguns temas do seu 13º álbum de originais, intitulado "Puro", que incluiu alguns temas românticos apropriados à época. O momento alto da noite foi quando as luzes baixaram, para que fosse ouvido o tema "Para Sempre", que certamente aqueceu ainda mais os corações dos apaixonados ali presentes.

E do Porto a Lisboa são menos de 9 horas de distância, e era na Aula Magna que Sara Tavares subia ao palco para animar os presentes, ao mesmo tempo que António Zambujo levava a sua lambreta até Évora (e não foi para dar música a José Sócrates). E como no amor e na guerra vale tudo, foi Guerra… Rita Guerra, a animar a noite dos namorados em Ílhavo.

Publicidade

Em Caldas da Rainha a banda sonora dos príncipes e princesas apaixonados ficou a cargo de João Pedro Pais, e não, não é mentira. Não sei se Luísa Sobral encontrou o seu Xico a tempo deste dia tão especial, mas marcou presença no Cine-Teatro Avenida, em Castelo Branco, para dar música a todos os amores de perdição. Em Leiria, os casais sussurravam "encosta-te a mim", enquanto ouviam Jorge Palma, no palco do Teatro José Lúcio da Silva. Em Vila do Conde, este dia foi celebrado com os maridos das outras, mas apenas por ser ao som de Miguel Araújo.

Esta iniciativa foi patrocinada pelo Montepio e o conceito era espalhar amor por oito cidades portuguesas, no mesmo dia e à mesma hora. Foi dia 14 de Fevereiro, por culpa dos americanos e do seu espírito consumista, que insiste em inventar dias para tudo. Mas foi sobretudo um celebração do amor e da música portuguesa por todo Portugal.