São oito os melhores #Filmes do último ano e têm gerado muitas expectativas. Ainda faltam alguns dias para conhecer o grande vencedor e, por isso, ainda vai a tempo de fazer as suas apostas. Acompanhe-se de uma boa dose de pipocas e…de um copo de vinho! Mas não sabe qual escolher? Não há problema. Oito enólogos da Câmara de Provadores da Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa escolheram oito vinhos para acompanhar os oito filmes nomeados, num processo que foi coordenado pelo Presidente da CVR Lisboa, Vasco d'Avillez, para quem a linha que separa um cinéfilo de um enófilo é quase inexistente. "Ambos vivem de uma arte, têm personalidades e estilos próprios", defendeu o responsável, que no final do ano passado publicou o livro "Celebrar" que é, no fundo, uma compilação do vinho mais apropriado para cada ocasião em particular.

Publicidade
Publicidade

Conheça então a escolha dos oito enólogos.

Boyhood - Lisete Lucas aconselhou o vinho tinto Quinta do Rocio 2008, feito a partir de um método clássico de fermentação. Aliás, clássico como a rodagem do filme que envolveu 12 longos anos. Este vinho esteve em garrafa depois do engarrafamento no mínimo 12 meses, assistindo-se a um processo de evolução idêntico ao que aconteceu com o protagonista, Mason.

Grand Budapest Hotel - Alexandra Mendes elegeu o vinho tinto da marca Monte Judeu Colheita 2012. À semelhança do filme, é um vinho fácil de beber, divertido e jovem. Por outro lado, e tal como o filme que descreve a luta pela recuperação de uma fortuna de família, o vinho tem persistência e estrutura.

Whiplash - Nilza Eiriz escolheu o Senhor d'Adraga 2012, tinto, IG Lisboa.

Publicidade

Trata-se de um vinho elegante, tal como Andrew aspira ser. Acompanhando o ritmo do filme, este vinho, produzido na exploração vitivinícola mais ocidental da região da Europa, tem intensidade, é irreverente e fresco.

Teoria de Tudo - Ana Almeirante seleccionou o vinho "Memória", um vinho tinto que é o espelho de um filme baseado em recordações. É um vinho que tende a crescer e a evoluir ao longo do tempo, tal como a personagem principal do filme. Para a enóloga, o vinho envolve o consumidor pela sua veracidade.

Sniper Americano - Só um grande vinho tinto é capaz de ajudar a superar um trauma de um filme. Esta é pelo menos a opinião de António Ventura, enólogo que elegeu o Casa das Gaeiras DOC Óbidos Reserva 2012. Trata-se de um vinho que necessita de tempo para estar pronto a ser servido, tal como o mais certeiro sniper da história. Na sua tarefa de salvar vidas, vai criando uma marca para a qual não está logo preparado para assumir.

Birdman - Miguel Móteo equipara o Birdman ao vinho Quinta das Cerejeiras Reserva Tinto da Colheita de 2008.

Publicidade

Tanto no filme como no vinho, procura-se encontrar a glória do passado e trazê-la para o presente e futuro. Tal como o filme é uma referência actual no panorama do cinema, também o vinho é destaque a nível nacional, pela sua imagem, elegância e perfil.

O Jogo da Imitação - O Quinta de São Jerónimo 2013, tinto, Syrah foi a selecção do enólogo Julião Batista. Tal como o ponto alto deste filme, o vinho é delicioso e agradável ao paladar, sendo espelho de um homem genial que salvou muitas vidas.

Selma - Trata-se de um vinho com corpo e personalidade. Para Selma, Luís Martins elegeu o Touriga Nacional 2011, Tinto, Reserva da Quinta da Sapeira. De cor rubi intensa, trata-se de um vinho com um final fresco e delicioso, tal como acontece neste filme que retrata uma parte da luta de Martin Luther King Jr., na sua incansável busca pelos direitos cívicos para a comunidade afro-americana a viver nos EUA. #Cinema