O Correntes d'Escritas deste ano vai contar com a presença de 60 escritores, 20 dos quais são estreantes no evento. Almeida Faria, Andréa Zamorano, António Cabrita, Eduardo Lourenço, Francisco José Viegas, Inês Pedrosa, Nelson Saúte, Rui Zink e Valter Hugo Mãe são alguns dos escritores que vão participar no evento que ao longo dos anos se tem afirmado no panorama cultural ibérico e que cada vez conta com mais público. No ano em que o evento se muda definitivamente para o Cine-Teatro Garrett, inaugurado em junho do ano passado e que dispõe de 470 lugares sentados, o Correntes d'Escritas promete dinamizar o centro da cidade e concentrar a cultura num espaço privilegiado. O vereador da Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Luís Diamantino, acredita que o evento vai dinamizar o comércio local e dar a conhecer aos participantes o centro da cidade, uma vez que nos anos anteriores o evento decorria na periferia.

O Correntes d'Escritas começa então no dia 25, altura em que haverão sessões de declamação de poesia nas ruas da cidade, assim como serão inauguradas exposições. No mesmo dia começam os lançamentos de livros. Durante os quatro dias serão lançadas 19 obras. No dia 26, de manhã, vai decorrer a abertura oficial, no Casino da Póvoa, com a divulgação dos vencedores dos prémios literários Casino da Póvoa, Prémio Correntes d'Escritas Papelaria Locus, Prémio Conto Infantil Ilustrado Correntes d'Escritas/Porto Editora e Prémio Fundação Dr. Luís Rainha.

No mesmo dia à tarde terá lugar a conferência de abertura proferida por Guilherme d'Oliveira Martins, presidente do Tribunal de Contas, com o tema "Quem tem medo da Cultura?". Depois, e até ao dia 28, altura em que serão entregues os prémios, serão dois dias onde as mesas de debate, sobre temas de várias obras, irão ser as protagonistas. Haverá ainda tempo para conversas de meia hora entre escritores, sessões nas escolas do concelho da Póvoa de Varzim, onde os alunos poderão questionar os escritores participantes, teatro e uma feira do livro. As expectativas para a edição deste ano são altas, como realçou o autarca na apresentação aos jornalistas. "É um desafio esta mudança do espaço, para uma sala de espetáculos por excelência, no centro da cidade, e que vai estar sempre lotado com certeza". #Literatura