Steve Strange , um ícone da cultura pop londrina e vocalista da banda de pop britânica Visage, faleceu inesperadamente na quinta-feira, aos 55 anos, com um ataque cardíaco. O músico estava em Sharm el-Sheikh, no Egito.

Irreverente e extravagante, Steve tornou-se conhecido pela sua criatividade e foi pioneiro do movimento "novo-romântico" da década 80. Antes de formar a banda Visage, no fim da década de 70, esteve também envolvido no movimento "punk", tocando em bandas como os Moors Murderers e colaborando com Malcolm McLaren, o mentor dos Sex Pistols. Inspirou grupos da pop eletrónica que emergiram na década de 80, como os Spandau Ballet, Duran Duran, Soft Cell, Human League ou Depeche Mode.

Publicidade
Publicidade

Steven John Harrington, verdadeiro nome de Strange, era natural de Gales e começou a despertar para a #Música após assistir a um concerto dos Sex Pistols, em 1976. Pouco a pouco, foi-se envolvendo e começou a fazer parte de uma minoria londrina que, no final dos anos 70, pretendia uma inovação da cultura pop que havia tido um interregno súbito pela a ascensão do punk.

Mentor do "The Blitz Club", em Londres, Strange implantou a cultura pop. Quando iniciou as noites do Blitz havia pouca audiência, mas a verdade é que esse clube acabou por ser o laboratório de todo um novo movimento, tornando-se um sucesso que iria fazer escola na década de 80 em todo o mundo. O seu amigo Boy George também acabaria por trabalhar no Blitz.

A banda Visage lançou-se com a música "Fade to grey" do álbum homónimo, que esteve no top de vendas em vários países.

Publicidade

Fizeram ainda mais dois álbuns em estúdio, tendo o grupo encerrado a atividade em 1985.

Tendo uma vida não muito regular, Steve Strange acabou por ter vários problemas, como o vício da heroína; foi condenado por pequenos furtos em lojas e começou a ter problemas de saúde. Em 2013 lançou mais dois álbuns, mas naturalmente sem o mesmo impacto.

Steve Strange será sempre lembrado como um ícone e pioneiro da cultura pop londrina. Era extravagante, irreverente e foi ativista de movimentos como o punk e o pop. A sua morte inesperada deixou a família, amigos e fãs incrédulos, embora Steve já desde de 2013 tivesse alguns problemas de saúde, principalmente ao nível respiratório, tendo até sido hospitalizado várias vezes.