A saída do baterista Shawn Drover e do guitarrista Chris Broderick dos Megadeth apanhou muitos fãs e a própria banda, de surpresa. Mas o seu líder, Dave Mustaine, não mostrou parte de fraco e afirmou que, independentemente de ter músicos ou não, as gravações do álbum iriam começar em breve (na verdade começaram no passado dia 17 de Março). Inevitavelmente, os boatos começaram a surgir, relativos ao regresso da line-up da era de ouro desejada por muitos fãs (Nick Menzana na bateria e Marty Friedman nas guitarras). Regresso progressivamente desmentido pelos músicos em questão, David Ellefson (baixista) e pelo próprio Dave Mustaine, classificado como algo simplesmente impossível de acontecer.

A curiosidade dos fãs é interminável e a espera até que exista uma confirmação pelos novos nomes a ocupar as posições deixadas em aberto levam a que as expectativas e os rumores aumentem. Depois de uma foto tirada de uma conversa num restaurante de fast-food entre Mustaine e Chris Adler, baterista dos Lamb Of God, o vídeo onde o ex-baterista Nick Menza deseja boa sorte a Adler e pergunta ironicamente se pode tocar no novo álbum dos Lamb Of God; sem falar na mensagem do Twitter do guitarrista dos brasileiros Angra, Kiko Loureiro, enviada dos Estados Unidos na altura em que Mustaine a partilhou também na referida rede social, indicando que iria realizar uma das últimas audições para o lugar.

É certo que os fãs gostariam de ter de volta Nick Menza e Marty Friedman, por representar não só o melhor momento da banda em termos criativos mas também por ser parte das suas memórias que inevitavelmente querem reviver. O fã gosta de reuniões, gosta de regressos por que são um regresso ao seu próprio passado. Todavia, afastada essa possibilidade e de acordo com os últimos boatos que por aí andam, que músicos poderiam elevar os Megadeth a um novo nível de excelência? Chris Adler é um baterista fenomenal, assim como Kiko Loureiro é assombroso em termos de técnica, mas será que os seus nomes, se se confirmarem, não serão apenas para a gravação do álbum? Até que ponto desistirão das suas carreiras para entrar nos Megadeth, mesmo sendo uma banda multi-platinada que já vendeu milhões de discos em todo o mundo? 

Outros nomes seriam bem vistos por parte dos fãs, como Mike Portnoy (ex-Dream Theater), Dave Lombardo (ex-Slayer), Jeff Waters (Annihilator), Jeff Loomis (ex-Nevermore), entre muitos outros. A questão é que os Megadeth são o bébé de Dave Mustaine e desde que a banda voltou depois do hiato, ele jurou nunca mais deixar o controlo criativo na mão de terceiros e fazer coisas com as quais não se sinta à vontade. Portanto, seria complicado para músicos criativos, como os atrás citados, aguentarem por muito tempo na banda sem terem hipótese de se expressarem criativamente. Aliás, terá sido essa a razão da saída de Drover e Broderick.

Imaginemos aquilo que teríamos nos Megadeth, num alinhamento com Portnoy ou Lombardo na bateria, e com o poder criativo de guitarristas como Waters ou Loomis nos solos. Dificilmente teríamos algo diferente daquilo que tivemos nos últimos anos, já que o compositor será sempre Mustaine e não é crível que essa situação vá mudar agora.  De qualquer forma, sonhar não custa. #Música