A tendência mantém-se, está provado. Depois de um Janeiro e Fevereiro cheios de boas propostas, eis que Março assegura para aqueles que tinham dúvidas que este será um ano em grande no que diz respeito à #Música pesada. Tivemos que fazer uma selecção apertada mas mesmo assim tivemos muitos trabalhos dos quais não conseguimos deixar de referir. Para começar nas sonoridades mais tradicionais tivemos o regresso dos Masters Of Disguise com "The Savage And The Grace". depois de um álbum de estreia em grande, este segundo álbum consegue ainda superar o que foi feito. Do melhor que o heavy e o power metal conseguem apresentar.


No campo instrumental, surge uma nova banda (nova de carreira e nova pela tenra idade dos seus músicos) instrumental que fará as delícias de todos os que gostam de ouvir a gritar a gemer. Por isso, os Emerged são um nome a reter e esta sua estreia, "Letting Go Of Certainties", um álbum a conhecer. E por falar em sonoridades mais tradicionais, o que dizer do álbum de estreia dos Sorcerer, "In The Shadow Of The Inverted Cross"? Doom metal na boa onda dos Candlemass, que conta com ex-membros de Therion e Tiamat.

Continuando no doom, mas numa vertente mais extrema, chegam-nos os Endlesshade com "Wolf Will Swallow The Sun", um álbum que talvez alguns considerem de difícil digestão mas que, para quem gosta da sua música desafiante, será um prato cheio. E haverá algo mais desafiante que o grindcore? É um género músical dos mais violentos, mas também é o nome de estreia álbum dos Unrest, que com "Grindcore" vão buscar o melhor da tradição iniciada por Napalm Death. 



Virando um pouco o estilo para o black metal, temos os islandeses Dynfari a provar que os países nórdicos, e a Islândia em particular, têm o dom de dar ao mundo música da mais espantosa da actualidade. "Vegferð Tímans" é apenas o mais recente exemplo dessa mesma excelência musical. Também do campo do black metal, surgem os misteriosos Ghost Bath, com o grande álbum "Moonlover" em mais uma aposta ganha por parte da Northern Silence Productions. Por outro lado, da Dark Essence Productions surgem os noruegueses Galar, com um terceiro álbum genial, "De Gjenlevende" que eleva o género de black/folk metal a um nível superior. Embora algo mais longe do black metal (pelo menos actualmente), os belgas Thurisaz, lançaram um excelente "The Pulse Of Mourning", poucos meses depois de um não menos bom álbum ao vivo, a provar que esta banda é um dos grandes tesouros da música extrema europeia.

Para finalizar, temos aqueles que podem ser considerados os álbuns do mês. Primeiro, "Extinct" dos nossos Moonspell, que regressam em grande, com um trabalho que mistura como ninguém os seus melhores momentos, os mais violentos e os mais melódicos, dos últimos anos, resultando num álbum coeso e completamente viciante. Segundo, "Aldafǫðr Ok Munka Dróttinn" por parte da banda composta por dois islandeses e um alemão, Arstídir Lífsins, num álbum impressionante, com tudo para ser considerado o melhor do ano, quando se fizer a revisão no final de 2015.

Foi assim Março de 2015, esperemos por Abril e por mais surpresas que nos possa trazer. Até lá, boa música e bons álbuns!