Portugal é um dos países que tem mais sítios reconhecidos como património mundial da humanidade. Atualmente são 15, mas podem ser mais nos próximos anos. Estão a ser preparadas novas candidaturas. Como Portugal integra o Comité do Património Mundial da UNESCO, até 2017, só são permitidas candidaturas nacionais relacionadas com o património imaterial. Saiba neste artigo quais são alguns dos locais que estão em lista de espera.

Em 2009, a fortaleza da Vila de Almeida (Guarda), foi proposta pela Câmara Municipal de Almeida. A fortaleza, de arquitectura bélica, remonta ao século XVII. É tida como uma das mais impressionantes do seu tempo em todo o continente europeu. A candidatura é feita em parceria com Valença. O governo local está a trabalhar em publicações e em conferências.

Se o processo de candidatura avançar, a juntar-se à Floresta Laurissilva, a Madeira pode contar com as levadas como Património Mundial da Humanidade. Este espaço foi construído a partir do momento em que a ilha começou a ser habitada (século XV). A salvaguarda das levadas foram sempre muito debatidas.

Em outubro de 2014, a Câmara de Cabeceiras de Basto (Braga) entregou a candidatura do Mosteiro de S. Miguel de Refojos a Património Mundial da Unesco. Fundado no século VII, o monumento, que está associado aos primórdios do país, foi integrado na ordem dos Beneditos no século XII. A candidatura à UNESCO destaca a amplitude histórica do mosteiro e a influência do espaço na dinamização local. Entretanto, a Câmara de Cabeceiras de Basto trabalha também para a atribuição do título de Monumento Nacional ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

É também realçado o cálice do mosteiro, de 1152. Classificado de Tesouro Nacional, é considerado o objeto com mais idade no Museu Machado de Castro (Coimbra). De acordo com os impulsionadores da proposta, aquele cálice permite estabelecer uma "ponte" entre o mosteiro, o rei D. Afonso Henriques e a Universidade de Coimbra.

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e a Câmara de Mondim de Basto encontram-se a desenvolver a proposta de candidatura de Fisgas de Ermelo (Vila Real), a Património da Humanidade. Até ao final de 2015, a candidatura deve ser submetida para análise, em Lisboa, à Comissão Nacional da UNESCO. As Fisgas de Ermelo representam uma incrível beleza de 400 metros. À Agência Lusa, Humberto Cerqueira, Presidente da Câmara daquela localidade, afirmou que:  "(A candidatura) vai procurar criar condições para preservar o bem natural e a sua sustentabilidade".