António Canteiro é o pseudónimo de João Cruz, escritor da obra inédita de ficção narrativa, intitulada 'Logo à tarde vai estar frio'. O autor e a obra, vencedores da 11.ª edição do Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho, serão agraciados no Dia Mundial do Livro (23 de abril, às 21h30), na Biblioteca Municipal José Saramago, em Loures. 


O Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho pretende homenagear a memória da escritora que muito contribuiu para a dinâmica cultural do concelho de Loures. Maria Amália vive no mundo intelectual dos homens e é reconhecida como tal, tendo sido a primeira mulher a ingressar na Academia das Ciências de Lisboa. Escritora portuguesa nascida em 1847, em Lisboa, e falecida em 1921, descende de famílias ilustres nas Letras e nas Armas - como o poeta quinhentista Sá de Miranda. Esposa do poeta parnasiano Gonçalves Crespo, é sobretudo conhecida pela faceta de educadora, tendo deixado uma vasta obra. No seu ilustre salão literário, recebe escritores como Camilo, Eça de Queirós, Ramalho Ortigão, Guerra Junqueiro e António Cândido.

António Canteiro, pseudónimo de João Cruz (Cantanhede, 1964) - o autor vencedor do Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho deste ano -, é licenciado em Serviço Social pelo Instituto Superior Miguel Torga de Coimbra. Frequentou o Conservatório de Música de Coimbra, até ao 3º ano de classe musical (flauta transversal), e foi elemento efetivo da Orquestra da Tuna Académica de Coimbra, durante o ensino universitário. Integrou, como elemento efectivo, a Tuna Académica da Universidade de Coimbra, no ano do seu Centenário.

É Técnico Superior de Reinserção Social, junto dos reclusos do Estabelecimento Prisional Central de Paços de Ferreira e no Estabelecimento Prisional Regional de Aveiro. Colabora com vários jornais regionais e revistas. Com o romance 'Parede de adobo' recebe a Menção Honrosa do Prémio Literário Carlos de Oliveira, em 2005. Com 'Poesia da terra e da água' obteve uma Menção Honrosa no Prémio de Poesia do Município da Murtosa, em 2009. Com o romance 'Ao redor dos muros' vence o Prémio literário Alves Redol, em 2009. Com o romance 'Largo da Capella' obteve uma Menção Honrosa do Prémio Literário Gaspar Simões, em 2011. Com 'O silêncio solar das manhãs' vence o Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, em 2013.

A obra premiada em 2015, 'Logo à tarde vai estar frio', será publicada brevemente. #Literatura