O dia 1 de Maio, Dia do Trabalhador, é feriado em vários pontos do mundo. As suas origens remontam ao século XIX. Descontentes com a exploração laboral, milhares de pessoas protestaram, em 1886, em Chicago (Estados Unidos). O objetivo era reduzir o tempo de trabalho para 8 horas. Pretendia-se não recorrer à violência, porém as forças militares, tentando anular a iniciativa, não olharam a meios e recorreram à força, provocando vários feridos e algumas mortes.

Com efeito, não foi o suficiente para a população se calar. A 3 de Maio o protesto regressou. Houve conflitos com a polícia resultando em 3 perdas humanas. No dia seguinte, surge nova manifestação para mostrar indignação para com acontecimentos decorridos.

Publicidade
Publicidade

O caos estava novamente instalado. Alguém atirou uma bomba para atingir os polícias que se preparavam para começar a afastar os manifestantes. Como resultado faleceu um agente e morreram 7 pessoas. A polícia decidiu responder e sangue foi mais uma vez jorrado: morreram 12 pessoas e várias pessoas ficaram magoadas. Após este acontecimento deu-se a chamada Revolta de Haimarcet, onde foram condenados 8 sindicalistas (5 à pena morte e 3 a pena perpétua).

A 20 de junho de 1889, regressavam as manifestações. O objetivo era o mesmo: introduzir 8 horas de trabalho. A partir de então, a Internacional Socialista decidiu realizar protestos anuais em Paris. De forma a homenagear os heróis de Chicago, escolheu-se o 1.º de Maio como data.

Demorou a surtir o efeito desejado, mas chegou. Em 1890, os Estados Unidos finalmente decidiram estipular o horário de trabalho em 8 horas (quanto ao dia do trabalhador, é um dos raros países desenvolvidos que nunca mostrou interesse em converter este dia em feriado).

Publicidade

A França oficializou o 1 de Maio como feriado, assim como reconheceu as 8 horas de trabalho. Ambas as decisões foram tomadas a 23 de abril de 1919. Um ano depois, a Rússia aprovou também 1.º de Maio como feriado nacional. A partir de então vários países adoptaram a mesma posição.

Dia do Trabalhador em Portugal

Só após a queda do "Estado Novo", o 1.º de Maio foi considerado feriado. A Central Sindical União Geral dos Trabalhadores e a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical, costumam organizar neste dia várias iniciativas que promovam melhores condições laborais. As que têm mais visibilidade normalmente decorrem em Lisboa e no Porto. No Algarve, Madeira e Açores costumam ser realizados piqueniques e festas. #História #Curiosidades