A editora Assírio e Alvim anunciou a publicação do livro A Estrada do Esquecimento e Outros Contos, onde constam cerca de duas dezenas de contos inéditos de #Fernando Pessoa. Em comunicado, a editora afirma que nesta edição se reúne "um conjunto de narrativas de Fernando Pessoa, das quais 20 se encontravam ainda inéditas". Além do conto A Estrada do Esquecimento, constam também os contos O caso do sargento falso, A trincheira, Uma tarde clerical, A caçada e Um conto, entre outros. Fazem ainda parte da seleção dois contos parcialmente inéditos: O crime do Dr. Cerdeira e O vencedor do tempo.

A editora não deixa de realçar o "rigoroso trabalho de edição" feito pela investigadora Ana Maria Freitas do Instituto dos Estudos sobre o Modernismo da Universidade Nova de Lisboa.

Publicidade
Publicidade

A introdução deste livro foi igualmente elaborada pela investigadora, que tem estudado de uma forma aprofundada o espólio do autor. Esta nova edição vem dar continuidade ao livro O Mendigo e Outros Contos, publicado pela editora em 2012, e vai dar a conhecer ao público mais sobre uma parte da obra pessoana. De facto, com a publicação destes textos inéditos, a obra de um dos autores mais importantes da literatura portuguesa contemporânea revela-se ainda mais extensa do que se pensava anteriormente.

A apresentação de A Estrada do Esquecimento e Outros Contos está agendada para o dia 09 de abril, pelas 19 horas, na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa. O livro possui 256 páginas. Deste livro foram disponibilizadas as páginas iniciais, desvendando um pouco do conto que dá nome à obra de forma a "abrir o apetite" aos leitores mais curiosos:

"A noite estava ilegível.

Publicidade

Não se via céu nem terra - só escuridão. Nem mesmo podia haver pelos sentidos a convicção de que havia céu e terra; a escuridão tirava-lhes os lugares. Só havia a escuridão, sem forma, lugar ou fundo. Apenas por atalhos das sensações podíamos confiar na existência do céu, em cima, e da terra, em baixo. O som dos passos dos cavalos, moles e duros na terra húmida, e de vez em quando soantes, chapinhando quando calcavam na água (…)" - de A Estrada do Esquecimento, Fernando Pessoa. #Livros #Literatura