O cineasta português Manoel de Oliveira faleceu esta madrugada, dia 2 de abril, vítima de paragem cardíaca. O seu último filme, "O Velho do Restelo", foi realizado quando o cineasta já tinha 105 anos. Apesar da idade, revelou que tinha mais projetos para dar ao mundo da sétima arte. O realizador português era até ao momento o mais antigo do mundo a exercer. Nasceu no Porto a 11 de dezembro de 1908.

As homenagens e reações à sua morte multiplicam-se, e a notícia da morte do cineasta português está em destaque em vários sites internacionais, nomeadamente em França e Espanha. O "El País" fala mesmo no "mítico cineasta que tinha 90 anos de carreira".

Publicidade
Publicidade

A Assembleia da República já emitiu um comunicado de homenagem lamentando a morte do cineasta que tanto fez pela cultura portuguesa. Manoel de Oliveira é sobretudo admirado por ter feito grande parte da sua obra depois de ter completado 70 anos.

O realizador é conhecido por diversos trabalhos. O primeiro, "Douro - Fauna Fluvial", estreou no ano de 1931, nesta altura as películas eram a preto e branco e não tinham som. Manoel de Oliveira era conhecido por se recusar a abandonar o trabalho no mundo do #Cinema. Realizou mais de 50 filmes, entre eles estão: "Aniki-Bobó", o mais conhecido e icónico, "Nazaré, Praia de Pescadores" e, por exemplo, "Leitão de Barros". Uma faceta menos conhecida é a de ator, tendo participado no segundo filme sonoro português, "A Canção de Lisboa", em 1933.O realizador portuense teve o privilégio de viver a passagem das películas do preto e branco para a cor e do silêncio para o som.

Publicidade

Manoel de Oliveira casou em 1940 e da união resultaram quatro filhos. Tem vários netos, mas o mais conhecido é o ator Ricarto Trêpa. Durante a sua carreira recebeu várias distinções, a mais recente foi o da Legião de Honra de França, na Fundação de Serralves, Porto.

Portugal e o mundo perderam o homem que queria ser realizador do cinema até ao último dia da sua vida e, assim, se cumpriu a sua vontade. Fica imortalizado pela sua obra cinematográfica que correu mundo e levou o nome de Portugal além fronteiras.