Aqui damos a conhecer mais alguns sítios que pretendem ser "Património Mundial da Humanidade". É um título que não é fácil de ser obtido, devido aos exigentes critérios estipulados pela UNESCO. Mas os locais de tudo farão para ver o seu nome inscrito entre os monumentos mais relevantes do mundo. Será que estão preparados para tal distinção?

Em 2003, Portugal começou a preparar a candidatura das Ilhas Selvagens. Porém, um ano depois, segundo o Público, a União Internacional para Conservação da Natureza sugeriu que a candidatura não fosse submetida para a UNESCO, uma vez que "o bem candidato não é globalmente significativo". Após alguns anos de reflexão, a candidatura deve avançar. Desde 1971 que se encontra vigiada pelo governo português, sendo a primeira reserva de Portugal. Este espaço é importante, uma vez que assegura a Portugal a maior área marítima exclusiva da União Europeia, e contribui para a proteção de várias espécies animais (em especial as Cagarras).

Com um total de 110 km, o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina localiza-se no sudoeste, na costa litoral portuguesa, entre São Torpes e a Vila de Bispo.

Publicidade
Publicidade

O seu vasto território apresenta diferentes belezas naturais, como arribas, falésias, praias, recifes, ou pequenas ilhas, sendo também notória a presença de vários animais (tais como o ouriço-cacheiro, lontras, sapos, cobras, garças, mochos ou corujas).

A candidatura de Marvão a Património Mundial começou a ser preparada em 1996, e, em fevereiro de 2000, a candidatura foi admitida. Porém em 2003, a UNESCO entendeu que não existiam condições para avançar. Desse modo, a autarquia decidiu afastar-se da corrida, muito embora em 2003, a vontade não fosse essa. O coordenador técnico-científico da candidatura, Domingos Bucho, revelava ao Público que: "Estão em estudo várias hipóteses e poderemos avançar, (...), se o Governo português e a UNESCO (...) mostrarem que vale a pena continuar a trabalhar".

Publicidade

Em 2014, Marvão decidiu entrar de novo na luta. De forma a demonstrar que a região tem condições para assumir este título, foi lançado um livro que pretende dar a conhecer todo o potencial da região, "Marvão, estudos e documentos de apoio à Candidatura a Património Mundial". O Presidente da Câmara de Marvão, Vítor Frutuoso, referiu na época à Rádio Portalegre que: "(O livro) é um trabalho de prestígio que abre caminho para alcançar o objetivo de Marvão que é conseguir ser Património da Humanidade". D. Afonso Henriques roubou a terra aos mouros. Nos séculos XII e XIII, Marvão foi um relevante espaço militar e mais tarde foi também fulcral para controlar as eventuais invasões vindas de Castela. Do seu vasto património cultural consta o castelo, a Rua do Espírito Santo, a Igreja do Espírito Santo, o Convento de N. S. da Estrela e o Pelourinho do século XVI. #Educação