O livro "Lords Of Chaos: The Bloody Rise Of Satanic Metal Underground", escrito por Michael Moynihan e Didrik Søderlind, relata a série de incêndios e assassinatos que ocorreram na Noruega nos inícios dos anos noventa, culminando no assassinato de Øystein "Euronymous" Aarseth, líder e guitarrista dos Mayhem, por Varg "Count Grishnackh" Vikernes, na altura baixista da banda, mas cujo foco era o seu projecto, a one man band Burzum. Lançado em 1998 e revisto em 2003, o livro nunca teve uma reacção muito positiva por entre aqueles que viveram os eventos, alegando que a forma como foi escrito tinha como principal objectivo o sensacionalismo. Varg Vikernes inclusive referiu que nenhum dos autores tinha conhecimentos suficientes sobre black metal para entender tudo o que se passou e escrever um livro sobre o assunto.



As críticas não se limitaram a vir de Vikernes, que durante os anos em que esteve preso foi mudando o seu discurso sobre o que se passou e as motivações por trás do assassinato de Øystein Aarseth e dos incêndios de igrejas históricas. Também outros músicos se mostraram insatisfeitos com alguns factos, conclusões e interpretações que os autores fizeram no livro, sendo que desconsideraram o livro sempre que o mesmo era referido, repetidas vezes ao longo dos anos. Uma crítica recorrente referia a forma como as entrevistas foram conduzidas, ficando a ideia de que o entrevistador tentava condicionar a mesma para obter as respostas que pretendia.



Recentemente soube-se que Hollywood está a preparar um filme que vai retratar os eventos sucedidos naquela época na Noruega, tendo como base o livro. Soube-se também que o realizador apontado será o ex-baterista dos Bathory (dos seus primórdios, em que usavam bateria real), o sueco Jonas Åkerlund, que se tornou também conhecido por ser realizador de vídeos de #Música (tendo inclusive o clássico dos Candlemass, "Bewitched"). Além desta confirmação, existe também a de Rory Culkin (irmão de Macaulay Culkin, que participou em filmes como "Scream 4" e "Hick") e Caleb Landry Jones ("X-Men: O Início").



Quem ficou totalmente insatisfeito com estas notícias foi Jørn "Necrobutcher" Stubberud, baixista dos Mayhem, que afirmou que o livro 'Lords Of Chaos' é lixo e que fazer um filme do livro não é algo bom. Afirmou ainda que iria fazer tudo para impedir que o filme fosse feito. No entanto, as motivações para esta oposição por parte de Stubberud talvez residam no facto de ele ter vendido os direitos da história à companhia cinematográfica norueguesa Motion Blur e de estar a colaborar com a mesma num argumento para o filme.



Seja como for, existem sempre duas formas de fazer adaptações de música para filme. Ou o(s) músico(s) não participa(m) no processo e afirma(m) que não há nada na mesmo que seja verdade ou participa(m) de alguma forma e o filme acaba por se tornar pouco interessante. Na realidade, ou temos bons filmes, ou temos péssimos - como "The Doors - O Mito De Uma Geração" e "Sid & Nancy" de um lado e "Rock Star" do outro - mas é inegável que quando se trata de #Cinema, nem sempre a verdade é o que garante um bom produto. Há sempre adaptações de detalhes que servem para tornar tudo mais interessante e coerente com o contar de uma história no grande ecrã. Resta saber o que irá acontecer neste caso, quanto da veracidade dos factos vai ser transportada e como será retratada, não só sobre os acontecimentos mas também sobre o género black metal em si.