Conchita Wurst, a mulher de barba que ganhou a última edição da Eurovisão e deu à Áustria a honra de receber este ano em Viena um dos maiores eventos do ano da Europa, visto em média, por 500 milhões de telespectadores, apresenta oficialmente na próxima sexta-feira, dia 15 de Maio o seu primeiro trabalho de canções inéditas. O disco é lançado em Portugal no dia 18. Após ter divulgado três singles do disco - ''Rise Like A Phoenix'' (canção que deu a vitória na Eurovisão), ''Heroes'' e ''You Are Unstoppable'', chega agora às lojas físicas e digitais, o álbum de nome homónimo, Conchita, que trará, para além destes, mais 11 temas inéditos.

Conchita, que após vencer a Eurovisão teve o seu nome entre os dez mais procurados do Google em 2014, e aproveitou a fama para apoiar a luta pelos direitos dos homossexuais e transexuais pelo mundo, irá aproveitar a edição deste ano do concurso, que se realizará na próxima semana, para divulgar este trabalho e assim tentar conseguir obter bons resultados em vendas.

Publicidade
Publicidade

O espetáculo da Eurovisão, que comemora este ano 60 anos, trará como grande novidade do ano de 2015, a entrada da Austrália. A 1ª e 2ª semifinais irão decorrer, respetivamente, na próxima Terça-feira, dia 19 e Quinta-feira, dia 21 (onde Portugal está incluído). A grande final acontece no dia 23 de maio (Sábado). O espetáculo contará com atuações inéditas de Conchita, para além de ser a mesma a apresentar a Green Room, espaço onde os concorrentes socializam e assistem à actuações do seus rivais e ainda, com nervosismo, esperam pelos resultados durante a cerimónia.

O álbum já pode ser ouvido no YouTube e é esperado que esteja disponível no Spotify assim que tiver o seu lançamento oficial. A tracklist do álbum é a que se segue e não conta com nenhuma parceria. "You Are Unstoppable" ; "Up for Air"; "Put That Fire Out"; Colours of Your Love"; "Out of Body Experience; "Where Have All the Good Men Gone; "Somebody to Love; "Firestorm" ; "Pure"; "Heroes" ; Rise Like a Phoenix"; "Other Side of Me".

Publicidade

#Música #LGBT