David Clifford, ex-editor de fotografia do jornal Público, morreu esta segunda-feira aos 40 anos de idade. O antigo editor de fotografia foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira na sua casa, em Lisboa. A notícia sobre a morte de Clifford foi avançada pelo Sindicado dos Jornalistas aos demais órgãos de comunicação social, mas sem revelar detalhes sobre as possíveis causas da morte do fotojornalista. O ex-editor de fotografia do jornal português nasceu no Canadá a 5 de julho de 1974 e começou desde cedo a aventurar-se e a apaixonar-se pelo mundo da fotografia.

Natural do Canadá, David Clifford André Libório veio muito novo para Portugal.

Publicidade
Publicidade

Cresceu na cidade de Alcobaça, onde a sua família se encontra a residir actualmente. Aos 15 anos, e segundo informações publicadas pelo próprio na rede social LinkedIn, David Clifford começou a fazer fotografia. Mais tarde estudou fotografia no Ar.co, Centro de Arte e Comunicação Visual, em Lisboa. Em 1998 tornou-se fotojornalista no jornal Público e foi neste jornal que se tornou sub-editor e editor de fotografia até 2007, ano em que abandonou o jornal.

Para além de todos os cargos já enumerados, Clifford foi ainda várias vezes júri no concurso de Prémios Novos Talentos Fnac Fotografia. Nos últimos tempos tinha estado a trabalhar por conta própria, como "freelancer", para vários órgãos de comunicação social, como a revista Time Out Lisboa, onde colaborava com bastante regularidade.

Não existem quaisquer informações sobre os motivos da morte de David Clifford, nem ainda foi anunciada a data do funeral do ex-editor de fotografia.

Publicidade

Também não se sabe se vai ser feita autópsia ao corpo do fotojornalista. Todas as informações continuam, por enquanto, em sigilo. Contudo, já existem algumas homenagens pelas redes sociais, quer de fotógrafos, profissionais e amadores, que seguiam o seu trabalho, quer de amigos do fotojornalista, que lamentam profundamente a partida prematura de Clifford, que faria 41 anos já no início do próximo mês. #Imprensa