Junho é o mês dos Santos Populares, dentro dos quais se enquadram Santo António de Lisboa e São João do Porto. No entanto, estes não são os santos padroeiros destas cidades. Quais são? Porque não o são? Porquê esta diferença? O mês de Junho é para muitos mês de festa e chegada de turistas. Um pouco por todo o país comemoram-se os Santos Populares, quer seja o Santo António, São João ou São Pedro. Por exemplo quando falamos nas festas de Stº. António a nossa imaginação vai logo para as Marchas Populares. as sardinhadas e as festas nos bairros mais típicos de Lisboa; ou quando falamos no S. João subimos até à cidade do Porto e imaginamos o fogo de artifício, os martelinhos e o alho porro.

Publicidade
Publicidade

No entanto, ao contrário do que muitos pensam e acreditam, estes não são os padroeiros das cidades a que correspondem cada um. Por exemplo, o santo padroeiro de Lisboa é S. Vicente (dos Corvos) e o santo padroeiro do Porto é Nossa Senhora de Vandoma (ou simplesmente Nossa Senhora do Porto).

Em Lisboa, S. Vicente como padroeiro já vem de tempos anteriores a D. Afonso Henriques, tanto que o rei, quando conquistou Lisboa, no dia de S. Crispim, tentou introduzir o mesmo como Santo da cidade mas, sem sucesso, pois o Culto ao Mártir Vicente era geral em toda a Península Ibérica. Relativamente aos corvos, significa que depois de morto e deixado para os abutres, este mártir foi protegido por um corvo. Só séculos mais tarde é então introduzido Santo António na cidade de Lisboa, visto o mesmo ser natural da capital.

Publicidade

Ficaram assim a ser dois os santos padroeiros da Cidade (o primeiro para a aristocracia e o segundo para o povo). Hoje ao visitarmos Lisboa encontramos várias imagens de corvos e a bandeira da cidade inclui estas aves.

Relativamente ao Porto, a padroeira é Nossa Senhora de Vandoma. A tradição surgiu no século I, aquando das reconquistas Cristãs em que, lutando junto com os Gastões, estava D. Nonego (Bispo da localidade francesa de Vendôme), que mais tarde viria a ser Bispo do Porto, trazendo consigo uma cópia da imagem que existia na Catedral de Vendôme (França). Esta imagem foi colocada numa das entradas da cidade, protegendo assim a Invicta de ataques. Foi a partir dai que o Porto foi consagrado à Virgem de Vendôme e a mesma passa a ser a padroeira da Cidade. A ligação a S. João por sua vez tem uma origem pagã em que as pessoas festejavam a fertilidade, colheitas e abundância, sendo que mais tarde a Igreja Católica cristianizou esta festa e atribui-lhe a importância que hoje tem no Porto.

Como resultado hoje as Festas Populares das maiores cidades de Portugal nada têm a ver com o verdadeiro Padroeiro Oficial. No entanto podemos também afirmar que estas não são as únicas cidades em que isso acontece e que até podemos dizer que em vez de um padroeiro de cidade existem dois. #História #Curiosidades #Religião