Nascido no Brasil (Rio de Janeiro) a 28 de março de 1851, Bernardino Machado era filho de pai português (António Luís Machado Guimarães, 1º barão de joane, natural de Famalicão) e de mãe brasileira (Praxedes de Sousa Guimarães, natural do Rio Grande do Sul). Até aos 9 anos viveu no país onde nasceu. Depois rumou com os seus pais para Portugal, onde se fixaram em Famalicão. Conheça um pouco mais sobre o homem que não foi só político.

Em 1866, Bernardino Machado matriculou-se na Universidade de Coimbra, a primeira, e naquela época a única, Universidade portuguesa existente. Inicialmente estudou Matemática, no entanto, acabou por mudar de curso, rumando à Filosofia.

Publicidade
Publicidade

Aluno de grande capacidade, acabou por obter o doutoramento naquela cidade, fixando-se ali como professor de Antropologia até 1907.

Graças a ele, foram desenvolvidas as bases daquela ciência social no país. Também a si se deve a introdução dessa área no ensino superior português. De acordo com o site da Universidade de Coimbra: "Com Bernardino Machado a antropologia virá a ser pela primeira vez institucionalizada no contexto universitário português. A proposta de criação da cadeira de antropologia (...) dirigida pelo respectivo Professor, foi apresentada na sessão de 8 de Junho de 1883 da Câmara dos Senhores Deputados".

A proposta foi reconhecida 1885, em Carta de Lei onde constava também a referência à criação das secções do Museu de História Natural da Universidade (Zoologia, Botânica, Mineralogia e Antropologia) cuja responsabilidade era dos professores das respectivas disciplinas.

Publicidade

A disciplina de Agricultura e Economia Rural foi extinta, e em seu lugar surge "Anthropologia, Paleontologia Humana e Archeologia Prehistórica". Bernardino Machado foi o responsável pela respectiva secção. Importa realçar que o Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra (local onde é lecionado o curso de Antropologia) tem placa alusiva a Bernardino Machado.

Política

Ainda no período monárquico, Bernardino Machado chegou à Política. Começou como deputado pelo Partido Regenerador (1882), seguiu-se Par do Reino (1890) e foi ministro das Obras Públicas, Comércio e Indústria (1893). Em 1903 ingressou no Partido Republicano Português.

Com a instalação do regime republicano, foi nomeado a 5 de outubro de 1910 Ministro dos Negócios Estrangeiros da República, cargo que ocupou até 3 de setembro de 1911. Em 1913 tornou-se Embaixador de Portugal no Brasil. De seguida foi presidente do Ministério (entre fevereiro a dezembro de 1914 e março a maio de 1921).

Foi nomeado Presidente da República por duas vezes.

Publicidade

A primeira vez foi em 1915. Em 3 escrutínios, Bernardino Machado venceu o seu mais direto adversário, Correia Barreto, com uma grande diferença de votos: 71-44; 75-45; 134-18. O seu primeiro mandato terminou em 1917. Foi expulso por Sidónio Pais. Partiu para o exílio.

Em 1925 candidatou-se de novo a Presidente da República e mais uma vez ganhou as eleições. Em 2 escrutínios venceu novamente com grande conforto Duarte Leite com os seguintes números: 124-33; 144-5. Em 1926, Bernardino Machado, uma vez mais, viu-se forçado a abandonar o poder devido a uma revolta militar. Este acontecimento deu início ao "Estado Novo".

Outras curiosidades

Bernardino Machado, que em 1872 optou pela nacionalidade portuguesa, foi casado com Elzira Dantas Gonçalves Pereira (também ela nascida no Rio de Janeiro). Tiveram 18 filhos. Faleceu aos 93 anos, em Famalicão, em 1944. #Personalidades