Creio ter descoberto a razão pela qual as mulheres dizem que os homens são uns brutos. É porque os homens são mesmo uns brutos.

Os homens não são uns brutos porque têm de ser uns brutos; os homens são uns brutos porque querem ser uns brutos.

O grande homem, para a grande mulher, não é o homem invencível. O homem invencível é uma seca - quanto mais não seja porque, lá está, vence sempre. O grande homem, para a grande mulher, é aquele especialista nos quatro equilíbrios fundamentais. Vamos a eles.

1. Perfeição VS Insuficiência. O grande homem é suficientemente perfeito para poder ser capaz de proteger, de defender, de se entregar, de resolver; mas também tem de ser suficientemente imperfeito para ter insuficiências, fragilidades, coisas que não consegue fazer, lágrimas que não pode evitar chorar.

Publicidade
Publicidade

O grande homem é grande o suficiente para não ter medo de ser pequeno. É daí que vem a sua grandeza.

2. Psicologia VS Acção. O grande homem é suficientemente lamechas para jantar à luz das velas, para adorar ver uma comédia romântica, para passar a noite a massajar os pés de quem ama, para abraçar e mimar e beijar com dedicação extrema, para tratar a sua grande mulher como o diamante que ele sabe que ela é; mas também é suficientemente selvagem para experimentar caminhos ousados, passos que fazem perder o fôlego, a indecência quando a decência sabe a pouco. O grande homem não é só aquele pelo qual a mulher respira; é, também, aquele que a faz perder a respiração.

3. Comum VS Único. O grande homem é suficientemente comum para ser fiel, para respeitar, para amar com tudo o que tem para amar, para ser antiquadamente romântico; mas também é suficientemente único para ter traços distintivos, marcas só suas, idiossincrasias encantadoras.

Publicidade

O grande homem é ordinário sem ser banal, um homem exactamente como os outros e por isso mesmo um homem diferente de todos os outros. O grande homem não é diferente porque precisa de marcar a diferença; o grande homem marca a diferença porque é diferente.

4. Coerência VS Transformação. O grande homem é suficientemente previsível para a mulher saber com o que pode contar, para lhe oferecer a segurança absoluta de que ela, tantas vezes, necessita; mas também é suficientemente imprevisível para ser capaz de oferecer a surpresa, a tão importante metamorfose. O grande homem é coerente sem ser previsível.

Em suma, todos os homens têm, em si, habilitações mais do que suficientes para não serem brutos nenhuns. Mas entre alguns deles há ainda uma concepção de jerico, segundo a qual a grande mulher é a que tem o grande rabo ou as grandes mamas. Muitos defendem que sexo com uma boazona é uma maravilha. Será, meus caros. Será. Mas com amor é muito melhor. #Literatura