A loucura é uma questão de percepção. Todos os loucos desprezam o que todos os outros aceitam (o que todos os outros, na verdade, procuram que nem loucos): aceitação.

A aceitação é uma forma de veneno: uma forma, lá está, de loucura. Uma forma socialmente aceite de loucura. Quantos se perderam de si para que os outros os encontrassem?

Até há minutos chamavam-me louco.

Agora sou apenas milionário.

Tudo começou há vinte e três anos, dois meses e quatro dias. Foi nesse dia que, por um simples capricho que nunca soube explicar, comecei a contar o número de traços cortados nas estradas - no fundo dediquei a minha vida desde então a contar as linhas descontínuas que havia em todo o país.

Publicidade
Publicidade

Corri as estradas de norte a sul e terminei ontem o meu périplo.

Foi um percurso difícil, ainda para mais numa altura em que estão sempre a ser construídas estradas e, com elas, novos traços descontínuos nascem.

Também as más condições de algumas vias me causaram dificuldades. Muitas vezes tive de ser eu a exigir nas Juntas de Freguesia para pintarem as linhas desgastadas pelo tempo em estradas velhas e decadentes.

Finalmente consegui: sei que contei todas as linhas, sem uma a menos que seja. Nos próximos meses posso estar descansado: o número a que cheguei vai manter-se intocado durante algum tempo; não está prevista, em nenhum ponto do país, a abertura ou renovação de estradas nos próximos tempos.

Sofri muito para conseguir - mas consegui. Todos me diziam que era maluco, que devia estar internado.

Publicidade

Ninguém compreendia o meu passatempo. Todos se riram nas minhas costas.

Até há alguns minutos, talvez há já uma hora, quando, a meio de um debate entre os dois maiores empresários do país, se gerou a tirada de humor que me deixou milionário. Foi mais ou menos assim:

- Está a dizer-me que dava um milhão de euros a quem arranjasse provas de que o doutor prometeu isso? Mas sabe bem que isso é impossível, doutor. Foi uma conversa que tivemos só os dois. Encontrar alguém que o prove é mais ou menos a mesma coisa que encontrar alguém que saiba o número certo de, digamos, traços descontínuos que há nas nossas estradas. Isso mesmo. Eheheheh! Eu também posso prometer que dou um milhão de euros a quem o souber, doutor. Sejamos sérios, doutor, sejamos sérios. Ehehehe!

Já tenho aqui o cheque na mão. #Literatura