A banda norte-americana de death/thrash metal técnico Revocation anunciou recentemente a entrada de Ash Pearson para lugar deixado vago na bateria por Phil Dubois-Coyne. Ash Pearson já tinha colaborado com a banda nalguns concertos durante o ano de 2014, quando Phil sofreu uma lesão no Verão, embora os espectáculos da digressão tenham sido levados a cabo por Alex Rüdinger, ex-baterista dos The Faceless e em alguns casos por Jon Rice, ex-Job For A Cowboy. Agora a mudança é oficial, numa altura em que os 3 Inches Of Blood estão prestes a cessar funções. O entusiasmo no meio da banda é visível, depois do choque que foi a saída do seu anterior baterista.

Dave Davidson, o frontman e actualmente o único membro original da banda, declarou através da página de Facebook da banda que esta está entusiasmado com o anúncio de Ash Pearson como novo baterista, referindo o seu trabalho com os 3 Inches Of Blood e o seu talento para poder executar as músicas tecnicamente complicadas da banda norte-americana. Referiu também que a banda está entusiasmada para começar este novo capítulo da sua história com Ash a bordo e que mal podem esperar para que os fãs o vejam em acção. Ash, por sua vez, referiu, também na mesma publicação do Facebook, que está bastante honrado por se juntar aos Revocation e que o ex-baterista, Phil Dubois, é um bom amigo e que se sente privilegiado por ter a sua benção para ser o sucessor. Termina dizendo que leva a sério o desafio de manter o calibre da banda nos níveis elevados que sempre teve e está ansioso por continuar o legado dos Revocation.

Relembramos que Phil Dubois-Coyne desistiu de acompanhar os Revocation para perseguir os seus próprios projectos. Inicialmente os rumores começaram em meados do mês passado, principalmente quando Phil Dubois mudou a sua designação no Instagram de "Phil_Revocation" para "phildubois_drums" e apagou qualquer indicação dos Revocation na sua biografia. O músico acabou por confirmar com a webzine Metal Injection que tinha deixado os Revocation. Afirmou que apesar de ser, segundo classificou, a decisão mais difícil da sua vida, era a única que poderia tomar após muita introspecção e de chegar à conclusão que deixou de ser um caminho para si. Também não colocou em causa a relação com os seus ex-companheiros e o apoio à sua ex-banda, que ajudou a fundar em 2006.

"Deathless", o último álbum da banda, estreou-se nos tops da Billboard no mês passado, ultrapassando a marca do anterior trabalho em mais de 30 posições, aterrando na posição 124 do Top 200. Também entrou para o Top de Álbuns de #Música Pesada da Billboard na posição 10, no Top de Álbuns Actuais na posição 114 e em primeiro lugar no Top de Novos Artistas.