Um forte temporal não impediu que história fosse feita no primeiro dia, 30/07, da edição de 2015 do Wacken Open Air, o maior festival de heavy metal do mundo realizado na Alemanha entre 30 de Julho e 01 de Agosto. Com um público composto por mais de 80 mil fãs, a Trans-Siberian Orchestra e os Savatage deram um dos maiores espectáculos das suas carreiras. Pela primeira vez as duas bandas tocaram em dois palcos separados mas simultaneamente. A Trans-Siberrian Orchestra é um dos grandes projectos da #Música pesada, elevando o termo ópera-rock a novos níveis de qualidade, enquanto os Savatage são uma das grandes instituições do heavy metal que voltou o ano passado a reunir-se após mais de dez anos de hiato.

Publicidade
Publicidade

Primeiro subiram ao palco os Savatage com um alinhamento de quarenta minutos, e depois chegou a vez da Trans-Siberian Orchestra para tocar igualmente quarenta minutos. As duas bandas finalizaram a tocar ao mesmo tempo em dois palcos diferentes durante mais de uma hora. Este concerto foi o primeiro da Trans-Siberian Orchestra num festival europeu e o primeiro dos Savatage desde que cessaram funções em 2002. Além disso representou o único concerto de ambas as bandas na Europa no presente ano.

A história destas duas entidades do heavy metal norte-americano está intimamente ligada, desde que o produtor e compositor Paul O’Neil começou a trabalhar com os Savatage em 1987, no álbum “Hall Of The Mountain King”. A sua influência fez-se sentir na música da banda, quando esta começou a enveredar por caminhos cada vez mais teatrais, onde o termo “ópera-rock” começou a aparecer cada vez mais associado aos Savatage.

Publicidade

O produtor na banda potencial para evoluir num sentido sinfónico, evolução essa que se tornou uma realidade palpável no álbum “Dead Winter Dead”, lançado em 1995. A sofrer a ostracização que qualquer banda de heavy metal dos anos oitenta sofreu na década de noventa, própria dos E.U.A., o álbum não teve o sucesso esperado e motivou o produtor a convidar grande parte dos músicos da banda para formar a Trans-Siberian Orchestra.

Uma das música do álbum “Dead Winter Dead”, “Christmas Eve (Sarajevo 12/24)”, a mesma que tinha sido completamente ignorada quando enviada para todas as rádios dos E.U.A., tornar-se-ia número um nos tops e faria com que o projecto tivesse muito mais visibilidade e sucesso do que os Savatage alguma vez tiveram até então, tendo inclusive representado uns dos motivos da banda ter acabado. A Trans-Siberian Orchestra foi considerada um dos maiores sucessos no que diz respeito a espectáculos, quer em número de #Concertos realizados, quer em número de bilhetes vendidos.

A Trans-Siberian Orchestra interrompeu as gravações do seu próximo álbum, intitulado “Letters From The Labyrinth” para este concerto, que deu a oportunidade aos fãs europeus de verem pela primeira vez um concerto grandioso, com uma produção de palco espantosa, efeitos pirotécnicos de luxo.

Publicidade

Tudo isto expandido a dois palcos, onde participam quatro guitarristas, quatro teclistas, dois bateristas, dois baixistas, um secção de cordas, 24 vocalistas (onde se incluíram Sir Russel Allen dos Symphony X, Zak Stevens, Jon Oliva, Robin Borneman, Jeff Scott Soto e muitos outros, incluindo coros de apoio). Sem dúvida que um assalto aos sentidos que elevou a fasquia para os espectáculos realizados num festival.

Abaixo um vídeo de um dos grandes momentos da noite, registado por um fã que estava em frente a um dos palcos, da Trans-Siberian Orchestra, mas que também tinha acesso ao dos Savatage.