A editora norte-americana independente Metal Blade Records comunicou oficialmente hoje, dia 1 de Setembro, através de um press-release, que celebrou um contrato com os Ravencult. A banda de nacionalidade grega tem como estilo de eleição o black metal e uma carreira com quase quinze anos. O contrato será de distribuição mundial e contemplará, para já, a edição do terceiro álbum de originais da banda com data apontada para 2016, não havendo ainda uma data certa para o seu lançamento. O seu último lançamento foi um split EP com a também banda grega Thou Art Lord, editado em Março de 2015.

Segundo as declarações dos Ravencult no já referido press-release, a banda grega está orgulhosa por juntar esforços com a lendária Metal Blade Records num contrato de distribuição mundial.

Publicidade
Publicidade

Estão orgulhosos pelo seu terceiro álbum poder ser adicionado a um catálogo tão prestigiado e glorioso que inclui bandas como King Diamond, Slayer, Immolation, Mercyful Fate, Bolt Thrower, Cirith Ungol, entre muitos outros.

Acrescentam ainda que, para quem já os conhece, sabe que a força primordial que os motiva sempre foi uma devoção profunda ao metal directo, com fortes bases nos riffs de guitarra, defendendo o som clássico e a mentalidade que o segue. Reforçam que esta força inspiradora e instigadora não só se mantém como também será reforçada já que consideram que a Metal Blade Records será um novo canal para espalhar o seu primitivismo auditivo.

Os Ravencult surgiram em 2001 com o objectivo de reviver o lado mais impiedoso do black metal. Assim sendo, o seu som traz, de forma orgânica ainda que suja, uma mórbida manifestação de escuridão.

Publicidade

Com origem em Atenas, foram evoluindo ao longo dos anos de uma abordagem que se pode enquadrar no black metal nos finais da década de oitenta, inícios da década de noventa presente no seu álbum de estreia de 2007, “Temples Of Torment”, para uma fusão profana e demolidora do black e do thrash metal, que o segundo álbum, “Morbid Blood”, revelou ao mundo. Os seus espectáculos ao vivo são compostos por violência sonora que já brindaram cerca de 20 países, partilhando palcos com alguns dos grandes nomes do género.

Os Ravencult prometem tornar-se num dos grandes defensores do som mais extremo e negro do metal grego. Só nos resta aguardar por 2016, para podermos comprovar isso mesmo. #Música