As encantadoras cidades da (socialmente) envelhecida Itália, Génova e Veneza, foram em tempos longínquos locais pobres. No entanto, tornaram-se nos mais importantes centros comerciais e marítimos europeus. Esta mudança trouxe grandes benefícios económicos às regiões. Conheça um pouco mais sobre a evolução comercial e naval destes espaços. 

Provavelmente fundada em 421, Veneza era então um território isolado que, por isso mesmo, esteve a salvo dos inimigos que invadiam toda a Itália. Ali instalaram-se inicialmente fugitivos de hunos, godos e lombardos. "Esta localização geográfica, nada favorável de início, acabou por conduzir a duas situações vantajosas: a independência e o poderio naval", revela a revista Super Interessante.

Publicidade
Publicidade

Sobreviver em Veneza foi durante muito tempo uma tarefa extremamente complicada. A solução para os problemas estava no mar. Como refere a Super Interessante, "os venezianos tiveram de lutar contra a natureza: apenas tinham um território, faltando-lhes meios como água potável, o que estimulou a exploração de todos os recursos marítimos enquanto solução". Assim sendo, não é de estranhar que se tenha investido na pesca, na salga e na navegação, o que permitiu consequentemente que fossem feitos intercâmbios comerciais com localidades próximas. Graças à atividade comercial Veneza desenvolveu-se. No século IX o Império Bizantino começou a perder força e Veneza reforçava o seu poder. Estabeleceu parcerias fundamentais para os seus negócios (com eslavos, francos, judeus e muçulmanos). Dois séculos mais tarde Veneza era um território rico não só em termos comerciais, como também a nível naval e militar.

Publicidade

O Papa concedeu a Veneza o monopólio da costa oriental do Adriático. 

Génova inicialmente era apenas um meio rural com ligações romanas, mas no século I a.C, era também o maior porto da Gália Cisalpina. No entanto, foi alvo de sucessivas invasões, o que adiou assim a sua afirmação. Os monarca italianos Berengário II e Adalberto II cederam alguns poderes à cidade. Em 1005 a aposta militar e naval genovesa motivou a conquista de vários territórios, como por exemplo da Sardenha em 1016 e da atual Argélia, na época designada Bonna, em 1034. Em 1096 Génova tornou-se independente (sendo designada de Sereníssima República). 

O grande poder financeiro alcançado pelas duas cidades teve também impacto nas suas identidades patrimoniais: em Veneza foi construído o Palácio Ducal e a Igreja de São Marcos, em Génova fundou-se a Lanterna do Farol e a Catedral de San Lorenzo.  #História #Curiosidades