Foi nos passados dias 7 e 14 de Novembro que Tiago Bettencourt subiu aos Coliseus do Porto e Lisboa, respectivamente. Acompanhado pela sua banda e por convidados especiais, o músico assinou um espectáculo impossível de esquecer e, talvez, de repetir. Tiago Bettencourt sobe aos palcos uma última vez, este ano, dia 28 de Novembro, em S. Miguel.

Com alinhamentos diferentes, o concerto na cidade do Porto recebeu como convidados Pedro Abrunhosa, Márcia e Fred Pinto Ferreira. Já na capital, Tiago Bettencourt dividiu o palco com Paulo Gonzo, a repetente Márcia e como  surpresa especial, Inês Castel-Branco.

No Coliseu dos Recreios, sala magnífica e carregada de história, o concerto ficou também para a história devido aos ataques terroristas de Paris da noite anterior.

Publicidade
Publicidade

O cantor subiu ao palco sozinho, pedindo ao público que realizasse um minuto de silêncio pelas vítimas da Cidade-Luz e também pelas vítimas do Líbano que sofreram ataques nesse mesmo dia.

São vários os momentos inesquecíveis e memoráveis, mas é de salientar a canção “Pó de Arroz” (original de Carlos Paião) e de “Canção do Engate” (de António Variações) que tiveram o público a realizar os coros com uma satisfação que se podia apalpar. A “Canção Simples” não só teve o refrão a cargo do público, tarefa que este realizou de maneira excepcional, como deixou o Coliseu quente, como se o cantor fizesse mesmo mais que o sol.

O momento da “Carta”, canção ainda do grupo musical ao qual o cantor pertenceu, os Toranja, foi aquele em que a voz do cantor ficou perdida no meio das vozes do público que entoou a canção do começo ao final, sem enganos naquela letra cheia de poesia imaginada.

Publicidade

Do novo álbum, “Morena” foi o momento mais divertido, em que o público foi convidado a dançar e fazer daquela #Música mexida um momento de festival de verão. Embora do novo álbum, o publicou não vacilou no acompanhamento da letra.

A surpresa de Inês Castel-Branco, que se encontrava a assistir ao concerto, foi um bom momento íntimo, em que a dupla cantou “Se cuidas de mim”, canção na qual já Inês participa. Foi um momento íntimo entre dois, claramente amigos, que o público teve o prazer de partilhar. A subida ao palco de Paulo Gonzo trouxe uma faceta diferente do conhecido cantor e uma forma diferente de interpretar um dos novos temas “Maria”. Com Márcia, assistimos ao momento mais intimista da noite. Foi uma conversa de jardim, de dois velhos conhecidos, que com a sua guitarra e a sua voz, deixaram o coliseu com um sentimento feliz de amizade completa.

Quem teve o prazer de assistir a este concerto não só pode recordar as músicas de Tiago Bettencourt, como passou uma noite acompanhada de um dos mais promissores cantores e poetas da música portuguesa actual.

Publicidade

O concerto entrou na recta final com o encore em que o cantor pediu ao seu amigo público que requisitasse as músicas. Tiago satisfez os pedidos, desde as mais antigas, às mais desconhecidas e mesmo aquelas que ele nem sabia a letra. Porém, mais uma vez, o público foi em seu auxílio.

O concerto terminou com “Chocámos Tu e Eu”, com todo o coliseu de pé a dançar os acordes mexidos da música e a acompanhar a letra, sentido-se que todo aquele público era parte integrante da banda de Tiago Bettencourt.

Foi um concerto magnífico, que encheu o coração de todos os participantes que de lá saíram com a certeza que foi uma noite única e inesquecível e que Tiago Bettencourt é, sem qualquer sobra de dúvida, um dos grandes cantores/poetas/amigos da música Portuguesa. #Concertos #Artes