A Metal Blade lançou ontem, dia 16 de Dezembro, um comunicado de imprensa sobre o lançamento de um novo vídeo para “Notion”, dos polacos Vesania. Realizado por Aleksander Ikaniewicz, conhecido fotógrafo polaco, este vídeo foi disponibilizado através do site No Clean Singing e é possível ser visualizado no final deste artigo. O tema é retirado do álbum de "Deus Ex Machina" que já data do ano passado. Os Vesania contam com membros e ex-membros de bandas tão influentes como Behemoth, Dimmu Borgir, Decapitated e Vader.

Orion, o vocalista e guitarrista da banda, comenta no já mencionado comunicado de imprensa que o vídeo que fizeram para “Notion” não é o típico vídeo de #Música.

Publicidade
Publicidade

Que está mais próximo de ser um filme do que propriamente um simples videoclip. Afirma que é uma variação cinematográfica da ideia por trás da música. Essa ideia passa por alguém que sonha em tornar real tudo o que sonhou, tornar-se algo próximo de um ídolo para si próprio, até que a perspectiva muda com um novo ponto de vista que passa por perceber que se tem mais poder do que aquele com que consegue lidar e que a arte criada é apenas uma forma de lutar pelas coisas em relação às quais se é fraco de mais para lutar de outra forma. Termina dizendo que existe uma farsa em ser a audiência e o actor ao mesmo tempo.

“Deus Ex Machina” foi gravado nos estúdios Sound Division e produzido e misturado pelo próprio Orion (que também faz parte da presente formação dos Behemoth) e Heinrich (baixista da banda e ex-baixista dos Decapitated) e foi masterizado por Scott Hull (dos Pig Destroyer e Agoraphobic Nosebleed).

Publicidade

É o quarto álbum da banda polaca, cuja carreira começou no final do século passado e foi o primeiro após uma longa ausência discográfica de sete anos, no que aos longa duração diz respeito. Com origens no Grego antigo, o termo "Deus Ex Machina" refere-se a um artifício usado nas tragédias gregas, que tinham como objectivo solucionar todos os problemas e pontas soltas que a história tinha até então. Assim, o título do álbum, tal como o próprio conceito do trabalho, conta uma história de desesperança, em que as personagens são incapazes de mudar os seus amaldiçoados destinos, o que, adicionado a música sombria, proporciona um álbum intenso de música orquestrada que tem como base o black metal melódico. Uma mistura vencedora como o vídeo abaixo bem demonstra.