Fernando Pessoa continua a surpreender. Foi dado a conhecer ao público, através da revista de estudos norte americanos Pessoa Plural, que investigadores encontraram em julho de 2015, na garagem da casa da África Sul onde residiu o poeta português, cerca de 2000 documentos de Fernando Pessoa! Todo o material encontra-se na Universidade de Brown (Estados Unidos). A análise vai durar um ano.

No entanto, já são conhecidos alguns documentos. Um deles, segundo o jornalista Miguel Soares  no site da RTP, revela que Fernando Pessoa em criança já era "um fingidor. Com os irmãos fazia peças de teatro em casa (...) Estes retratos inéditos da infância do poeta estão escritos numa carta inédita da meia irmã Teca, enviada nos anos 70 a um dos primeiros biógrafos do poeta".

Publicidade
Publicidade

Também nesta mesma carta é dado a saber que Fernando Pessoa tinha a simpatia das crianças, costumava permitir que a sua sobrinha espalhasse na sua cara creme de barbear. Outro dado interessante é o fato da sua irmã referir que os amigos se queixavam que Pessoa vivia demasiadamente no seu mundo; mesmo quando estava acompanhado, ele nunca estava verdadeiramente presente.

Também se sabe que existe uma carta que foi dirigida a João, o seu meio irmão, cuja data remonta 28 de fevereiro de 1934. Esta carta, uma vez que não não se encontra na Biblioteca Nacional nem está entre o legado que chegou às mãos da família, leva a acreditar que existam muitos textos que não conhecemos da autoria de Pessoa.

É ainda de salientar que no espólio agora descoberto também se encontra ‘The Poet of Many Faces’, um livro que reúne poemas escritos em inglês por Pessoa.

Publicidade

Hubert Jennings fez a compilação.

Fernando Pessoa: Quem foi?

Nascido em Lisboa a 13 de junho de 1888, Fernando Pessoa foi uma figura indiscutivelmente culta, mas misteriosa. Ainda hoje existem muitos mistérios sobre a sua figura. Sobre o seu trabalho, passados já 75 anos sobre a sua morte, continuam a descobrir-se novos elementos.

Sabe-se que passou a infância na África do Sul, tendo frequentado uma escola de ensino católico. Como tal, não é de estranhar que dominasse perfeitamente o inglês. Foi um brilhante poeta, mas foi muito mais do que isso. Também foi astrólogo, tradutor, argumentista de filmes e até publicitário. 

Como poeta adotou vários heterónimos (Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Alberto Caeiro são os mais conhecidos). Como astrólogo, elaborou o mapa astral de várias personalidade portuguesas. Como tradutor, passou para português as obras de Allan Poe e Shakespeare. Enquanto argumentista, apenas se sabe até ao momento que foram encontrados há alguns anos em Portugal guiões seus para filmes. Desconhece-se exatamente quais os seus conteúdos. Como publicitário, foi responsável por criar o primeiro slogan da Coca Cola em Portugal: "primeiro estranha-se, depois entranha-se".

Pessoa faleceu, na cidade que o viu nascer, a 30 de novembro de 1935. #História #Curiosidades #Personalidades