Tanto no passado como no presente continuamos a ser um povo de inventores e inovadores. A revista "Sábado" reuniu algumas das invenções portuguesas que mais marcaram a #História do mundo. Fique a conhecê-las.

A caravela:

Este tipo específico de barco foi inventado pelos portugueses e foi especialmente utilizado durante a era dos Descobrimentos entre os séculos XV e XVI. A origem do nome está envolta num mistério, enquanto se discute que pode ter origem em "cáravo" ou "cárabo", um termo que vem da língua grega e significa "barco ligeiro utilizado no Mediterrâneo", outros historiadores discutem que pode até vir de "carvalho", a madeira que era utilizada para construir as caravelas. 

Foi graças ao desenvolvimento da caravela que os portugueses puderam aventurar-se nos mares mais selvagens usando as velas triangulares que caracterizavam as caravelas portuguesas e que tornavam possível navegar de forma segura contra o vento.

Publicidade
Publicidade

Aliás, foi numa caravela portuguesa que Bartolomeu Dias dobraria o Cabo das Tormentas, mais tarde baptizado como Cabo da Boa Esperança em 1488.

Astrolábio náutico:

Esta invenção portuguesa permitia aos marinheiros determinarem a latitude de uma embarcação em alto mar. Era também possível medir a altitude meridiana de uma estrela, contando que se conhecia a declinação da mesma. O astrolábio náutico português é uma adaptação do astrolábio planisférico. A necessidade de adaptar este instrumento surgiu na era dos Descobrimentos, quando os navegadores portugueses tinham de navegar em alto mar, longe da costa.

A bola de vento para microfones:

Nos dias de hoje é impensável um técnico de som utilizar um microfone sem uma bola de vento. Mas sabia que esta invenção é portuguesa? O seu inventor foi Jaime Filipe, um engenheiro que trabalhou longos anos na RTP.

Publicidade

Em 1981 criou a primeira bola de vento para microfones, que tem como objetivo final estabilizar o som captado pelo microfone e melhorar a qualidade do equipamento. 

O Multibanco:

Portugal foi um dos últimos países da Europa ocidental a desenvolver os equipamentos das caixas automáticas, mas apenas porque continuava em fase de estudos. Finalmente em 1985 foi lançada a primeira rede de caixas de Multibanco (MB) portuguesa, que foi um dos sistemas mais avançados para a altura. Quando as caixas de Multibanco chegaram a Portugal pela primeira vez, os habitantes tinham apenas 12 terminais nas principais cidades (Lisboa e Porto). Agora estima-se que existam mais de 13.000 terminais, a maior densidade de caixas automáticas por habitantes em toda a Europa. É de salientar que a rede de Multibanco é uma das mais sofisticadas do mundo. 

A Via Verde:

Surgiu pela primeira vez no ano de 1991 e é uma forma simples de efectuar o pagamento de portagens. Este sistema de portagem electrónica foi criado pela Universidade de Aveiro para eliminar as filas intermináveis para fazer o pagamento nas auto-estradas.

Publicidade

Por norma existem duas vias reservadas a aderentes à Via Verde e os carros têm que estar equipados com um identificador DSRC colado ao pára-brisas. A vantagem deste sistema é o condutor não ter que parar o veículo para fazer o pagamento. Este é automaticamente debitado na conta bancária do mesmo. Atualmente é a empresa Brisa que detém 60% do capital social da Via Verde.

O papel higiénico preto:

Esta ideia surpreendentemente brilhante partiu de uma empresa portuguesa, a Renova. Atualmente, graças a uma campanha publicitária vista por muitos como brilhante, vende para  países como o Japão, Estados Unidos, Bélgica, França ou Espanha. Este produto diferente caracteriza-se como sendo único, de luxo, macio, resistente e perfumado. Abriu as portas para um mercado totalmente diferente e agora a Renova também apostou noutras cores, como o vermelho vivo, cor-de-rosa ou até mesmo verde alface.  #Curiosidades