Portugal, enquanto país pequeno, territorialmente falando, tem contribuído ao longo dos séculos com inúmeros e grandiosos presentes culturais para a humanidade. Entre os Descobrimentos, de que fomos absolutos pioneiros mundiais, o incomparável poeta Camões ou o intrigante poeta Pessoa, podemos encontrar um governante português, D. João IV, que dedicou parte da sua vida não só à restauração da independência do nosso país, como também às artes em geral, tendo sido mecenas e compositor. Possuía, ainda, e à data, um dos maiores acervos bibliográficos do mundo e foi o responsável pela fundação de uma escola de #Música erudita em Vila Viçosa, de onde saíram músicos formados para a Europa, em especial para Itália.

Publicidade
Publicidade

O monarca, que reinou entre os anos de 1640 e 1656, escreveu "Adeste Fideles", cujos manuscritos foram encontrados no Palácio de Vila Viçosa, datados de 1640. "Adeste Fideles", expressão latina que em Português poderá traduzir-se como "Venham fiéis»" é um grandioso hino de #Natal, interpretado já por nomes sonantes da ópera mundial como Luciano Pavarotti, Andrea Bocelli, Barbara Padilla, Jose Carreras ou Placido Domingo. Qualquer pesquisa no YouTube por "Adeste Fideles" conduzi-lo-á a uma interpretação imperdível e do melhor gosto musical.

Os manuscritos terão, entretanto, sido levados para a corte inglesa e mais tarde reescritos por John Francis Wade, cujos manuscritos datam de 1743 (mais de 100 anos após a lavra original da obra, pelo nosso rei D. João IV, cuja autoria foi caindo no esquecimento e sendo erradamente substituída pela de John Wade).

Publicidade

Aliás, durante largos séculos, a obra foi conhecida nas cortes europeias como o "Hino dos Portugueses", mas, ainda assim, mantendo-se a atribuição da sua autoria a John Wade.

D. João IV foi ainda autor de "Crux Fidelis", outra obra de música sacra, também amplamente interpretada em contextos eclesiásticos e do documento "Defesa da Música Moderna", datado de 1649 e enviado ao Vaticano para solicitar autorização para a interpretação da música instrumental durante os serviços religiosos.

Quem viu com atenção o filme "Conto de Natal" de Robert Zemeckis, de 2009, deverá recordar-se da melodia trauteada pelo jovem Ebenezer Scrooge quando está sentado na carteira da escola, absolutamente só e abandonado pelos seus companheiros. Canta "Adeste Fideles", como se depositasse as suas esperanças no nascimento de Cristo, o rei dos anjos, tal como nos relata a letra da composição levada a cabo por D. João IV, rei de Portugal. #História