Pedro Cláudio, um dos fotógrafos de referência em Portugal, morreu na madrugada de quinta-feira, 21 de Abril, devido a um cancro. Encontrava-se internado no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, há cerca de 3 semanas e aos 51 anos não resistiu ao estado avançado da doença. 

O corpo do fotógrafo e realizador, que teve o seu trabalho publicado em revistas como a Elle, Vogue e Marie Claire, vai estar amanhã, 22 de Abril, na igreja de São João Deus, na Praça de Londres, em Lisboa. No sábado, está previsto que às 13 horas seja transportado para o Cemitério do Alto de São João, onde será cremado. 

Pedro Cláudio nasceu em 1965, em Torres Vedras, mas em 1985 mudou-se para Lisboa, de modo a frequentar o curso de Design e Comunicação, na Escola de Belas #Artes.

Publicidade
Publicidade

Enquanto fazia o curso, decidiu que queria dedicar o seu tempo a trabalhar profissionalmente como fotógrafo e "não perder tempo com mais nada", disse no seu documentário Entre Imagens, exibido a 22 de Abril de 2014, na RTP2. 

Nesse documentário, o fotógrafo definiu-se como um camaleão, uma vez que gostava de experimentar várias formas de realizar um trabalho. Não gostava de estar "limitado a uma linguagem", disse.

Pedro Cláudio fez trabalhos como fotógrafo de #Moda, era presença assídua na ModaLisboa, realizou trabalhos na área da publicidade e também trabalhou como realizador, colaborando com artistas portugueses como os Buraka Som Sistema, Xutos e Pontapés, Orelha Negra, Sam the Kid e Júlio Resende. 

O fotógrafo definia o seu  trabalho como sendo muito diverso, isto porque tinha como objectivo buscar sempre coisas novas, diferentes linguagens e diferentes representações. 

Sérgio Mah, director da Lisbon Photo e da PHotoEspaña, e acima de tudo amigo de Pedro Cláudio, recordou o amigo dizendo: "Fez trabalhos incríveis de moda, de vídeo.

Publicidade

Era um camaleão na forma como utilizava a linguagem das imagens, porque tinha uma energia fantástica e excepcional". De acordo com o Expresso, Mah acredita que Pedro Cláudio teria sido mais reconhecido pelo seu trabalho enquanto fotógrafo se tivesse morado em Nova Iorque. #Música