Em 1914, uma reportagem da revista Ilustração Portuguesa revelava que no Havai, então designado de ilhas Sandwich, existia um grande número de emigrantes portugueses (25 mil). A maioria era natural da Madeira e dos Açores. Os lusitanos formavam a maior comunidade europeia presente naquele território. Tiveram uma grande influência na evolução económica.

Nos finais das décadas de 70 e 80 do século XIX, num grande fluxo migratório, chegam a Sandwich 11 057 açorianos e madeirenses. Nos anos seguintes o número continuou a ser elevado.

Importa contudo referir mais especificamente outubro de 1878. Nessa data chegava a Honolulu o “Priscilla”, um navio de origem alemã que trazia 114 portugueses (quase todos madeirenses).

Publicidade
Publicidade

Era um momento histórico não só para a vida daquelas pessoas, como para Portugal, pois tratava-se da primeira emigração portuguesa em massa para um sítio tão longínquo. Contudo, é de realçar que antes deste chegada já existiam 400/500 portugueses no Havai e que aparentemente tinham boa qualidade de vida. Sabe-se que esses primeiros homens a fixarem-se ali eram essencialmente baleeiros e descendiam de baleeiros açorianos que tinham trabalhado na Nova Inglaterra (atuais Estados Unidos).

Os portugueses nas Ilhas de Sandwich tinham sortes profissionais diferentes. A revista Ilustração portuguesa descreveu na época as funções dos emigrantes da seguinte maneira: "Embora haja poucos comerciantes estabelecidos, há muitos proprietários, muitos empregados nos serviços do governo e nas grandes casas comerciais e bancárias.

Publicidade

Um grande número de filhos e filhas dos nossos colonos exerce o professorado nas escolas americanas. A maioria dedica-se aos trabalhos das plantações (de cana de açúcar)". Importa referir que os portugueses que trabalhavam nas plantações adquiriram terrenos ao Estado que serviam não só para os seus trabalhos no campo, como também para o local onde fixavam a sua residência. 

O grande problema para os portugueses era mesmo conseguir manter as ligações com o país de origem e com os parentes que por lá tinham ficado. Uma vez por outra, um emigrante lá conseguia saber informações através de algum companheiro. 

Porém, existiam no arquipélago 3 jornais escritos em Português dedicados a Portugal. Tinham prejuízo financeiro para os proprietários, mas cumpriam claramente o objetivo de tentar manter viva a língua portuguesa junto da comunidade. 

Os filhos dos emigrantes pouco sabiam sobre Portugal, pois embora existisse uma escola portuguesa... não existia um professor para ensinar! 

Atualmente, o Português é uma língua quase desconhecida no Havai.

Publicidade

No entanto, ainda existem marcas da presença portuguesa naquela zona. Vários havaianos têm apelidos tipicamente portugueses (como Rebelo, Perestrelo, Silva, Soares, Freitas). Também o famoso instrumento musical ukulele, que é o cavaquinho em Portugal, chegou ao Havai no século XIX através do madeirense João Fernandes, um homem que emigrou para trabalhar na plantação do açúcar. #História #Curiosidades #EUA