O arqueólogo Konstantinos Sismanidis acredita ter encontrado o túmulo de  Aristóteles em Stagira (antiga cidade da Macedónia, onde o filósofo grego viveu a maior parte da sua vida). Konstantinos revelou a sua possível descoberta no final de Maio, num congresso internacional dedicado a Aristóteles. Existem especialistas de #História que duvidam desta hipótese. Contudo, há quem acredite. Será que estamos perante uma grande descoberta?

O túmulo, segundo o arqueólogo, foi construído no tempo de Alexandre, o Grande. Trata-se de um pequeno edifício com um piso altar e mármore, e está localizado ao lado de uma estrutura maior, semicircular, que poderia ter funcionado como um local de encontro para as pessoas da cidade.

Publicidade
Publicidade

Apesar de registos antigos indicarem que Aristóteles morreu na ilha de Eubeia, em 322 a.c, Sismanidis refere que existem cópias árabes de um texto escrito pelo historiador Ptolomeu (que viveu de 90 d.c a 168 d.c) que dizem que as cinzas de Aristóteles foram levadas para Stagira, sendo enterradas num edifício construído em sua honra. Porém, não foram descobertos, neste túmulo em Stagira, restos humanos ou inscrições que citem Aristóteles.

Sismanidis descobriu o edifício em 1996. O grego escava Stagira há mais de 20 anos e planeia publicar um livro sobre as as suas descobertas.

Professor descrente

Desde o anúncio na semana passada, os meios de comunicação de todo o mundo têm relatado a descoberta. No entanto, muitos arqueólogos não estão convencidos que o túmulo seja o de Aristóteles .

R.

Publicidade

Angus Smith, um professor da Universidade Brock, em St. Catharines, Ontário, que escava na Grécia, referiu ao site: "Seria lindo se fosse verdade, mas eu não vi provas que me convençam da ligação [entre os resultados da escavação e o túmulo de Aristóteles]."

Professora acredita na descoberta

Em declarações ao site LiveScience, Elizabeth Kosmetatou, professora de História Antiga na Universidade de Illinois, referiu que "o mais provável é que seja o túmulo [de Aristóteles.]" A professora prosseguiu dizendo que já recebeu a informação de que a estrutura descoberta por Sismanidis contém telhas com letras gregas, o que significa que foram produzidas numa oficina real para cerâmica em Pella, capital da antiga Macedónia. Essas cartas indicam que a tumba e a estrutura semicircular eram edifícios públicos, que podem ter sido financiados pela cidade ou pelo reino da Macedónia.

Ela refere ainda que Ptolomeu alegou que o túmulo de Aristóteles tornou-se um ponto central para a cidade de Stagira, o que significa que as reuniões públicas provavelmente teriam ocorrido lá. A estrutura semicircular ao lado do túmulo teria sido um bom lugar para tais reuniões ou outros eventos públicos. #Curiosidades