A Associação Ecos Culturais do Louro, entidade organizadora e produtora do evento, dá novamente vida ao Laurus Nobilis Music. A edição de 2016 realiza-se nos dias 22, 23 e 24 de Julho, sendo os três dias distintos em géneros musicais. O festival realiza-se na Rua Comendador Costa e Sá, Louro, Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga e a abertura de portas está marcada para as 18h. Os bilhetes vão de 20€ a 120€.

A primeira edição do Festival de Música Laurus Nobilis Famalicão, que teve lugar em 2015, foi um enorme sucesso e tudo leva a crer que esta segunda edição consiga ultrapassar as expectativas do público, que já são altas.

Publicidade
Publicidade

A organização defende que o festival não se destina apenas a apresentar ao público nomes já profissionais e bem conhecidos, mas também pretende ser como uma montra de novos projectos, destinando-lhes a difícil tarefa de abrir os #Concertos nos três dias.

O cartaz

Com capacidade até dez mil pessoas por dia, os três dias de festival apresentam géneros completamente diferentes. O primeiro dia, Sexta-feira, 22 de Julho, apresenta o dia de música de peso com três grandes nomes nacionais. A responsabilidade de abrir as hostilidades às 19h cabe a Via Sacra. Seguem-se os Quinteto Explosivo às 20h20, Bizarra Locomotiva às 21h40 e, para encerrar, Moonspell às 23h40. Os concertos terminam, mas a animação não. António Freitas assume a liderança da festa da 1h15 até ao encerramento do primeiro dia do festival, que será por volta das 4h.

Publicidade

O segundo dia é dedicado ao Rock/Pop Rock e apresenta Metáfora às 19h, The CityZens às 20h20, Bloco do Caos às 21h40 e Aurea às 23h40. Neste 23 de Julho o encerramento cabe a Fernando Alvim das 1h15 às 4h.

No último dia de festival, 24 de Julho, o tema é Músicas do Mundo/Étnica. Cabem ao Kwantta às 19h00, Luar Na Lubre às 20h30 e  Carminho, às 22h30, encerrarem em beleza este festival.

Os bilhetes custam 20€ (diários), 40€ (passe para os três dias) 60€ (passe VIP diário) e 120€ (passe VIP 3 dias).

Os passes VIP dão acesso a um ou três dias de festival, estacionamento em parque exclusivo, catering incluído, zona exclusiva e privilegiada para assistir aos concertos e acesso às secções de autógrafos e backstage.

A organização vai dar a conhecer a sua causa social aliada ao festival, a Casa do Artista Amador. Esta casa será direccionada à arte amadora. Vai servir para albergar projectos culturais amadores (músicos, poetas, pintores, actores, escritores, entre outros artistas) com o objectivo de os promover. A Casa do Artista Amador funcionará também como sede da Associação Ecos Culturais do Louro.

#Música #Festivais