Com mais de 50 anos de história, os #rolling stones, a banda londrina mais famosa do planeta não pensa na reforma e prepara-se para lançar um novo disco ainda este ano. Blue & Lonesome foi anunciado dois dias depois do grupo formado em 1962 divulgar, na rede social Twitter, dois pequenos teasers de 10 segundos, com Mick Jagger, de 73 anos, e Keith Richards, com 72, a tocarem uma #Música acompanhados de harmónica.  

No site oficial da banda já é possível encomendar o álbum que chega às lojas no início de Dezembro; no Facebook há um impressionante artwork, com os míticos lábios com a língua de fora, imagem de marca dos Rolling Stones, a dançar, num formato interactivo de 360º.  

Blue & Lonesome é o 30.º disco da banda em estúdio (há mais dez ao vivo e outros 31 de compilações) e foi produzido por Don Was, que colabora com Jagger e companhia há mais de duas décadas.

Publicidade
Publicidade

"Este álbum é uma demonstração clara da pureza e do amor que eles têm pela música e o #blues é, para os Stones, a fonte de tudo o que fazem", disse o produtor.

O álbum conta com 12 canções de artistas como Jimmy Reed, Willie Dixon, Eddie Taylor, Little Walter e Howlin'Wolf, e foi gravado no tempo record de três dias. Eric Clapton estava a trabalhar no estúdio ao lado e acabou por participar em dois temas: 'Everybody Knows About My Good Things' e 'I Can't Quit You Baby'. Estará disponível em formato digital (que inclui um CD), apenas em CD, em vinil e numa edição especial com CD, posters e um mini-livro de 75 páginas sobre a sua gravação e produção. As edições em CD custam 12,99 e 11,99 euros, respectivamente, o vinil 28,99 euros e a edição especial 35,99 euros. 

Mais blues e menos rock é o que se pode esperar do mais recente trabalho da banda, que tinha lançado o último disco, "A Bigger Bang", em 2005.

Publicidade

E os Rolling Stones, que actuaram pela última vez em Portugal no Rock in Rio de 2004, não ficam por aqui: no próximo mês de Novembro editam o DVD "Havana Moon", que regista o concerto histórico que deram em Março de 2016 na capital cubana, para mais de um milhão de pessoas.