Todos nós conhecemos os famosos clássicos da Disney e a verdade é que todos eles nos fascinam pelo facto de os personagens terem a enorme capacidade de enfrentar e superar as dificuldades com que se deparam numa determinada fase da sua vida e conseguirem os seus finais felizes. É fácil recordarmos histórias como o Bambi, a Pequena Sereia e ainda a Cinderela… Mas já reparou que em grande parte dos clássicos da Disney os personagens principais não têm mãe? Por vezes aparecem no início da trama, mas logo depois morrem? Será uma simples coincidência?

Não, não é apenas para nos levar às lágrimas.

Segundo o site Rockn'Tech, o principal objetivo dos filmes da Disney é começar desde cedo a incutir nas crianças a ideia do crescimento e amadurecimento.

Publicidade
Publicidade

Uma vez que os seus #Filmes duram cerca de 90 minutos, a forma mais fácil de obrigar os personagens a assumir as suas responsabilidades é recriar a morte da mãe, que é o elemento a que a criança geralmente tem mais afeição. A perda desta figura, que tem por norma a função de nos guiar no início das nossas vidas, torna-se a forma mais fácil de conseguir que os personagens cresçam mais rapidamente, conseguindo-se então, cumprir a essência da Disney.

Um outro motivo que se acredita ser também o responsável desta “coincidência” (uma justificação mais freudiana), é o facto de Walt Disney se sentir culpado pela morte da sua mãe. O maior sonho de Disney era oferecer uma casa aos seus pais, mas no dia em que eles foram para lá morar houve uma fuga de gás, da qual resultou a morte da mãe. Apesar de Walt não ter tido culpa desta inesperada tragédia, ele viveu assombrado pela culpa deste incidente e daí nas suas histórias haver sempre a morte deste símbolo materno.

Publicidade

Para além destes dois motivos, há ainda quem diga que era uma forma de encorajar os pais a tornarem-se mais maternais, ou então a crença da morte da figura maternal ser um benefício psicológico. A verdade é que os filmes da Disney estão continuamente no ar e perseguem-nos durante a nossa vida, nem que seja apenas nas nossas memórias, e a belas histórias encantadas continuam… sem mães. #Cinema #Curiosidades