O filme Silence, de Martin Scorsese, tem recebido várias críticas positivas, merecendo inclusivamente uma nomeação para os Óscares deste ano (de Melhor Fotografia). Esta obra, que esteve recentemente em exibição nas salas de cinema portuguesas, fala sobre as missões de 3 jesuítas portugueses no Japão. Uma dessas personagens foi o jesuíta Cristóvão Ferreira (no filme foi interpretado por Liam Neeson).

Publicidade

Curiosamente, o site da Universidade de Coimbra revela agora que foi encontrada na Biblioteca Geral da instituição uma carta redigida por esse padre jesuíta.

Publicidade

Esta carta, que foi redigida em 1618 no Japão, é uma descrição muito exaustiva das missões dos padres portugueses pelo estrangeiro. É importante referir que no Japão, naquela época, já existiam leis que não toleravam cristãos naquele país.

Na carta são contadas várias histórias de perseguições e conversões. António Maia do Amaral, Diretor Adjunto da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, revela a importância deste documento: "Embora se trate de uma pessoa que recusou, que renegou a religião cristã, é também de alguma maneira um mártir; esta carta é uma relíquia. É um documento muito raro. Foi escrito no Japão e foi enviado para a Europa. A carta termina com a passagem de um missionário para a ilha de Okaido. A carta, no geral, é muito esperançosa sobre o fim das perseguições e com a continuação da missionação".

Cristóvão Ferreira: quem foi?

Nasceu (provavelmente) em 1580 em Torres Vedras.

Publicidade

Estudou na Universidade de Coimbra. Aos 17 anos ingressou na Companhia de Jesus. Em 1600 foi enviado para o Oriente, onde fez várias missões.

Tirou em Macau o curso de Teologia. Chegou a padre em 1608.

Entre 1609 e 1633 foi missionário no Japão. Durante as perseguições de Shogunato Tokugawa, liderou os jesuítas. Em 1633, acabou por ser apanhado e, após 5 horas de tortura, Cristóvão Ferreira acabou por renegar a sua religião e alterou o seu nome para Sawano Chuan. Escreveu em 1636 o livro A Decepção Revelada e participou em julgamentos governamentais de outros jesuítas capturados. Faleceu em Nagasaki em 1650.

Em 1974 o jesuíta Hubert Cieslik publicou o texto "The case of Christovão Ferreira", onde considera que o português foi uma das mais polémicas personagens das missões da Companhia de Jesus no Japão. #Filmes #História #Curiosidades