Foram #Ditadores que marcaram profundamente os seus países e o mundo. Contudo, existem fatos sobre estes homens que não são muito conhecidos. Revelamos agora algumas #Curiosidades sobre alguns dos homens que mais marcaram a história mundial. Saiba aqui quais são.

De acordo com uma pesquisa feita pela revista francesa, Le Point, Hitler, o ditador da Alemanha entre 1933-1945, considerado por muitos como o mais perverso ditador de sempre, terá tido uma relação com uma francesa, da qual nasceu, em 1918, uma criança chamada Jean-Marie Loret (sendo registado como filho de pai incógnito). Esse filho terá combatido na Segunda Guerra...

Publicidade
Publicidade

contra o próprio Hitler. Assim sendo, a convicção de que Hitler não teria deixado descendência, cai por terra.

Estaline, o temível líder da União Soviética, a quem recentemente Gerard Depardieu deu vida num filme gravado em Portugal, adorava ver filmes norte americanos, sobretudo westerns.

Salazar, o homem que, para o bem e para o mal, liderou os destinos de Portugal entre 1932 e 1968, segundo vários biógrafos, em criança era muito tímido, muito sério e tinha muitos medos.

Em 1915, com 23 anos, Franco, que controlou a Espanha entre 1936 e 1975, foi nomeado capitão do exército do seu país. Tornava-se assim o mais jovem capitão que a Espanha já alguma vez tivera.

Saddam Hussein, ditador do Iraque entre 1979 e 2003, considerava ser a reencarnação de Nabucodonosor, um rei da Babilónia.

Em 1902, com 19 anos, Mussolini, que liderou a Itália entre 1922 e 1943, fugiu do seu país porque não queria cumprir o serviço militar.

Publicidade

Rumou à Suiça, no entanto, não foi bem sucedido naquele país. Acabou por viver nas ruas, pois não conseguia um emprego. Provocou constantes desacatos, o que fez com que fosse expulso da Suíça, e acabasse assim por voltar para a Itália, onde acabou por cumprir o serviço militar.

Idi Amim, ditador do Uganda na década de 70 do séc.XX, de acordo com o site noticias.uol "colecionava cabeças decepadas num frigorífico e tinha hábitos inusitados como alimentar crocodilos com cadáveres e o canibalismo".

Gnassingbe Eyadema, presidente do Togo entre 1967 e 2005 (ano do seu falecimento), via-se como um super-herói. O seu egocentrismo chegou ao ponto de desenvolver banda desenhada, cujo protagonista era ele próprio.

Jean Bedel Bokassa, antigo presidente e imperador da República Centro Africana entre 1966 e 1979, não permitia a poligamia no país, no entanto tinha várias mulheres (17) e filhos (50).

Os banhos de Ne Win, antigo ditador da Birmânia (1962-1981), envolviam sangue de golfinho.

Mao Tse Tung adorava ser elogiado.

Publicidade

Como tal, tinha tendência para promover quem lhe desse "graxa". Na sua primeira viagem de avião, o piloto desfez-se em elogios ao líder comunista que controlou a China entre 1949 e 1976. Depois deste episódio, o piloto acabou por ocupar os cargos mais altos da aviação militar chinesa.

Fidel Castro, o homem que geriu Cuba entre 1959 e 2008, é detentor de um feito que consta no “Guinness Book”. Foi ele que fez os discursos mais longos da #História. A 29 de setembro de 1960, discursou 4 horas e 29 minutos na ONU e, em 1986, discursou 7 horas e 10 minutos no Congresso do Partido Comunista em Cuba

Pinochet, ditador chileno entre 1973 e 1990, faleceu a 10 de dezembro de 2006. Um bizarro paradoxo: o homem que assassinou, torturou e prendeu milhares de pessoas, morreu no dia em que se comemora... os direitos humanos.