A “verdadeira história da Branca de Neve e os Sete Anões” não se fica pelo final feliz após o príncipe ter salvado a #princesa, com um #beijo, da malvada madrasta. Uma vez que é uma história que todos nós conhecemos, não é necessário contar a história, mas sim relatar já a verdade da Branca de Neve - ou pelo a menos a versão original, tal como terá sido contada aos irmãos Grimm, que a converteram numa narrativa mais aceitável. Existem indícios históricos que apontam para o facto de os irmãos Grimm terem adaptado uma história contada pela misteriosa família Hassenpflug, reproduzindo antigas lendas alemãs.

Nesta versão, a madrasta seria a própria mãe da Branca de Neve, que contratou um caçador para matar a sua filha, que teria apenas 7 anos de idade.

Publicidade
Publicidade

Porquê? Porque acreditava que se utilizasse certos órgãos da filha para uma poção, iria conseguir a bem dita juventude!

Este caçador teria de trazer consigo não só o coração, como também um pulmão, o fígado e todo o seu sangue numa jarra. Este caçador, cedendo à sua boa consciência, substituiu os órgãos da Branca de Neve pelos de um javali, deixando a menina escapar.

A princesa fugiu, até encontrar uma casa onde viviam os ditos sete anões, onde a sua vida não era tão linda como o que se retrata na história da Disney, mas na verdade também não se distancia muito. Em troca da estadia, a Branca de Neve teria de arrumar a casa e cozinhar para os sete anões.

Quando a mãe descobre a verdade, através do seu espelho, vai em busca da filha, acabando por a encontrar. Utilizou diversos disfarces para a conseguir matar pelas suas próprias mãos, até que o da maçã envenenada resultou.

Publicidade

Os anões, como gostavam imenso da menina, não tiveram coragem de enterrá-la, colocando-a num caixão de vidro para que a pudessem ver quando assim quisessem. Entretanto, aparece um príncipe que quer comprar aquele caixão, por ter considerado algo que seria lindo para o seu castelo; apesar de no início os anões terem negado, acabaram por lhe oferecer o caixão.

E o beijo que acorda a princesa?

Existem duas versões. Numa delas, sustenta-se a ideia que um dos empregados do castelo do príncipe estava farto de cuidar da defunta, e dá um soco na sua barriga, em que a Branca de Neve cospe a maçã e volta à vida; na outra, um dos servos tropeça e cai em cima da menina, e ela cospe a maçã envenenada. Como se pode constatar, não existe o belo beijo que acorda a princesa; simplesmente, o príncipe, após ela acordar, decide casar com ela, que teria apenas 7 anos de idade!

Como acaba a história?

No casamento, uma das convidadas seria a mãe da Branca de Neve, que aí descobre que a sua filha está viva, e de algum modo, a menina descobre que teria sido a sua mãe a tentar matá-la. Neste mesmo dia, Branca de Neve vinga-se da sua mãe, obrigando-a a colocar um par de sapatos de ferro, que estavam extremamente quentes, e a dançar a noite toda com eles até falecer.

Vitória, vitória, acabou-se a história! #Disney