Os casos do Rei D. João V com algumas freiras no convento de Odivelas ficaram célebres na #História de Portugal (que são tema da série atualmente em exibição na RTP, que conta a relação do monarca com Madre Paula). No entanto, existiram outros casos mediáticos ocorridos noutras épocas, em diferentes mosteiros portugueses. Neste artigo revelamos as relações proibidas entre a família de Eça (descendente de Inês de Castro e D. Pedro I) e a família Abreu, que levaram o rei D. João III ao desespero.

"Foi característico o porte desregrado das senhoras das primeiras gerações dos Eças (...)" revela o autor Braancamp Freire na obra "Os Brasões de Sintra", a propósito do comportamento das filhas e da neta de D.

Publicidade
Publicidade

Fernando de Eça, nos mosteiros onde residiam. Curiosamente, irmãs e sobrinha tiveram relacionamentos com homens da poderosa família Abreu (mais concretamente com Pedro Gomes de Abreu, e alguns dos seus sobrinhos).

No Mosteiro de Lorvão, a famosa abadessa D. Catarina de Eça envolveu-se com Pedro Gomes de Abreu; a sua sobrinha, que também foi abadessa do Lorvão (e do Val de Madeiros), D. Filipa de Eça, teve um caso com João Gomes Abreu.

No Mosteiro de Celas (Coimbra), o romance entre a abadessa, D. Beatriz, e o Bispo de Viseu, D. João de Abreu, resultou em 3 filhos: Luís Gomes de Abreu, Pedro Gomes de Abreu e Diogo Gomes de Abreu.

Também em Celas, D. Joana de Eça, abadessa, teve uma relação com o irmão de João Gomes Abreu, Vasco Gomes de Abreu.

O rebuliço no Mosteiro de Lorvão tornou-se tão grande que o rei D.

Publicidade

João III, incomodado com o tema, acabou por redigir uma carta a 31 de agosto de 1543 destinada ao embaixador português no estado papal. Nesse documento solicitou auxílio para encontrar uma forma de terminar com as atitudes menos próprias das Eças do Mosteiro de Lorvão.

Fernando de Portugal d' Eça: A origem da polémica vida emocional dos Eça

A história de devassidão terá começado com o Senhor de Eça, Fernando de Eça, pai das abadessas Catarina d' Eça, Beatriz d' Eça, e Joana d' Eça, avô de Joana de Eça, filho de João de Portugal, e Maria Telles, e neto (pela via paterna) de Pedro I e Inês de Castro. Braancamp Freire refere no livro "Brasões da Sala de Sintra", que foi "criado ao desamparo, sem pai, nem mãe, nem quem por ele realmente se interessasse, saiu um devasso acabado. O seu fraco era casar e com o maior desassombro o fazia, chegando ao ponto de ter às vezes três ou quatro mulheres vivas. Então, filhos, isso era um nunca mais acabar. Quarenta e dois lhe assinam os nobiliários!" Que se saiba, foi casado com 6 mulheres.

Publicidade

Na fase final da sua vida, Fernando d' Eça vivia com a consciência pesada devido ao estilo de vida que tinha levado durante tantos anos.

Bispo João Gomes de Abreu: as relações e os filhos.

O Bispo de João, que foi responsável pela fundação dos Paços do Bispos de Viseu, para além da já referida relação que teve com Beatriz de Eça, teve ainda outros casos/ descendentes: #Curiosidades

  • Com Isabel Gonçalves: Jorge de Abreu e Leonor de Abreu.
  • Com D. Isabel de Soutomaior: Gil Fernandes de Abreu.
  • Com Maria Vaz: Fernão Rodrigues de Abreu (ou Fernão Gomes de Abreu),