O Benfica venceu a Supertaça 2014/15, a quinta do seu historial, ao bater nas grandes penalidades o Rio Ave FC, depois no nulo nos 90 minutos regulamentares e após prolongamento. O guarda-redes Artur Moraes, de regresso à titularidade com a saída de Oblak, foi o herói ao defender 3 "penalties", conquistando novamente o coração dos adeptos. As estatísticas comprovam os comentários de Jorge Jesus no final: o Benfica rematou 24 vezes, contra 4 remates dos vila-condenses, e criou 14 situações de bola parada, enquanto o Rio Ave não conseguiu uma única. Na verdade, e das três finais que os dois clubes disputaram este ano civil (Taça da Liga, Taça de Portugal e Supertaça) esta foi talvez a mais desequilibrada.


Mesmo tendo em conta que também o Rio Ave perdeu muitos dos seus jogadores neste defeso, tendo entrado em campo com cinco titulares do ano anterior (enquanto o SLB alinhou com sete), e também o eventual cansaço dos vila-condenses depois das exigências da pré-eliminatória da Liga Europa, ainda assim o Benfica foi, no jogo corrido, a equipa mais forte.


Mas a imagem que fica para os adeptos, para já, é a oposta: uma equipa à qual faltam "soluções de finalização", nas palavras dos comentadores da RTP, ou simplesmente "alguém que marque golos", nas palavras do adepto comum. A verdade é os golos simplesmente não surgiram, e com Rodrigo e Cardozo de fora, os adeptos têm de se perguntar se a máquina segura que fabricou 58 golos durante o campeonato anterior vai manter a mesma eficácia.


Contudo, os adeptos que viram a equipa do ano anterior ser derrotada logo na primeira jornada (2-0 contra o Marítimo SC) deverão saber que Jorge Jesus tem a capacidade de inverter uma situação negativa. Resta saber se os jogadores disponíveis, mais os que vão chegar, serão suficientes para acompanhar os principais rivais.


Já o Rio Ave, depois de ter falhado mais uma hipótese de conquistar um troféu - e elas são bem raras para os clubes médios - vai ainda assim prosseguir um caminho único na sua história, depois de ter ultrapassado a primeira eliminatória da Liga Europa. A fase de grupos deverá estar ao alcance dos vila-condenses, se souberem gerir o cansaço e o plantel neste mês de Agosto tão exigente para os clubes médios que chegam a este nível.


A Primeira Liga começa já no próximo fim-de-semana, com FC Porto-Marítimo na sexta-feira 15 (feriado), Académica-Sporting no sábado 16, e Benfica-P. Ferreira no domingo 17.