Luís Duque foi ontem, segunda-feira, eleito presidente da Liga de Clubes, como se previa na sequência do elevado número de apoios que conseguiu na reunião dos clubes de futebol da semana passada. O novo presidente conseguiu 46 votos válidos, 5 votos em branco e 2 votos nulos, tendo faltado apenas o Atlético à votação. O novo presidente, ao contrário do que por é habitual em discursos de vitória ou tomada de posse, optou por um termo negativo, afirmando sentir-se "preocupado" com o que vai encontrar, e alertou que "A Liga é dos clubes, e não do presidente" e que será do esforço dos clubes que se conseguirão fazer esquecer os problemas recentes.

Publicidade
Publicidade

Será importante que os presidentes do clubes estejam presentes "todos os dias" e que não abandonem a nova direcção, apelando de forma veemente ao esforço em conjunto. O estado financeiro é uma das principais preocupações do novo presidente, que vai tentar conhecer a situação financeira o mais rapidamente possível e incentiva o novo Conselho Fiscal nessa tarefa, mas antecipando não ser necessário "ser um perito ou um adivinho" para saber que o cenário não será o ideal. Note-se que Luís Duque declarou abdicar do salário de presidente da Liga, ao esclarecer que vem em "espírito de missão e não à procura de emprego."

À margem das declarações de Duque, o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, rejeitou as insinuações de que Duque tivesse sido uma proposta conjunta de FC Porto e SL Benfica, e menos ainda um conluio contra a direcção actual do Sporting.

Publicidade

PC referiu que Duque é "um homem do futebol", com experiência e conhecimento do sector, e que o #Sporting esteve sempre presente nas reuniões que houve, mesmo se não assinou o documento final. Pinto da Costa referiu ainda que nem Porto nem Benfica tiveram a iniciativa de propôr Duque como candidato, e que nem sequer o facto de partilhar um candidato com o Benfica significa o reatar de relações com os encarnados, frisando que o candidato foi uma escolha em conjunto cos clubes que o aceitaram para resolver problemas comuns. Pinto da Costa deixou ainda várias críticas à gestão de Mário de Figueiredo, nomeadamente a alteração de estatutos para os clubes deixarem de fazer parte da direcção da Liga.

O Sporting reagiu em comunicado, aquando da nomeação de Duque como candidato e vencedor pré-anunciado da última reunião de clubes, alegando que nunca poderia aceitar um candidato ao qual a direcção actual avançou processos de responsabilidade civil por gestão danosa pelo período que esteve à frente da SAD do clube.