O #Sporting CP eliminou o FC Porto ontem, por 3-1, em jogo a contar para a terceira eliminatória da Taça de Portugal, a primeira em que participam equipas da Primeira Liga, e em jogo disputado no estádio do Dragão. Os leões mostraram-se superiores e mais objectivos, depois de o FC Porto, que até parecia estar a caminho de dominar o jogo, ter cedido um auto-golo, por Marcano, aos 31 minutos. Acossados, os dragões reagiram de forma certeira, com Quintero a encontrar Jackson que empatou a partida aos 35 minutos. Mas ainda antes do intervalo Nani aproveitou a hesitação da defesa portista para assinalar de forma convincente e inspirada - ele que havia enviado a bola ao poste logo aos 40 segundos - o segundo golo do Sporting.

Publicidade
Publicidade

Ao intervalo, o treinador voltou a baralhar o seu sistema táctico, tirando Casemiro para fazer entrar Rúben Neves - o jovem de 17 anos que renovou esta semana o contrato com os dragões, até 2017 e com uma cláusula de rescisão de 40 milhões de euros - e Tello entrou para o lugar de Quintero na direita que foi para o lugar de Óliver na esquerda que foi para o banco. Mas nem com uma grande penalidade, falhada por Jackson com grande defesa de Rui Patrício, o FC Porto chegou lá. E se muitos adeptos, no estádio, clamavam por uma entrada de Quaresma, que viesse trazer um toque de magia semelhante ao que trouxe na passada terça-feira ao jogo da Selecção, Lopetegui optou por Brahimi. Mas o ataque do Porto não funcionou, e continuou a atacar com vontade mas sem grande objectividade. Aos 82 minutos, Carrillo encerrou a eliminatória para o Sporting e selou a primeira vitória dos leões no Dragão desde 2007.

Publicidade

No final, muitos adeptos criticaram a escolha de Jackson e Adrián para o 11 inicial, e também a falta de combatividade mostrada pela generalidade da equipa.

Nos restantes jogos da Taça de ontem, destaque para a vitória sofrida do SL Benfica na Covilhã, sobre o Sporting local, por 3-2, depois de estar a perder por 2-1. A entrada maciça de jogadores não habitualmente utilizados, com menos ritmo de jogo e menos rotinas, tornou o jogo muito equilibrado e quase poderia ter levado a uma rara eliminação de dois "grandes" na mesma eliminatória. Em termos de tomba-gigantes (ou equipas que eliminam adversários de ligas superiores) o Aves venceu o Boavista por 4-1 e o Varzim eliminou o europeu Estoril por 2-1.