O #Benfica conseguiu a sua primeira vitória na Liga dos Campeões 2014/15 de futebol ao vencer o Mónaco no estádio da Luz por 1-0, com um golo decisivo de Talisca aos 82 minutos. O jogo renova as esperanças dos encarnados no apuramento para os oitavos de final da "Champions" ou, pelo menos, para a Liga Europa, depois de uma primeira metade muito negativa desta fase de grupos. Contudo, este resultado não significa a reconciliação dos adeptos com a equipa.

O Benfica tomou a iniciativa mas mostrou poucas ideias e pouca capacidade de ultrapassar a rede montada por Leonardo Jardim, treinador dos monegascos. Na primeira parte, o jogo foi, nas palavras dos comentadores da rádio pública Antena 1, "chato", com o Mónaco a comandar as operações.

Publicidade
Publicidade

O Mónaco não dominou pressionando o adversário, pois esta é uma equipa ainda com dificuldades e a recuperar do golpe psicológico que sofreu no início do ano, com o desinvestimento por parte do seu proprietário russo. O seu domínio revelou-se, sim, na forma de jogar, arrastando o ritmo, tornando-o "lento e confuso" (de acordo com a Antena 1), impedindo o adversário de jogar. Esta era uma equipa, afinal, ainda sem golos sofridos nesta Fase de Grupos, e com isso tinha conquistado 5 pontos em três jogos. E, na verdade, Jardim até tinha percebido que o seu jogador Yannick Ferreira-Carrasco, nascido na Bélgica e com ascendência portuguesa, conseguia ser um verdadeiro carrasco para André Almeida.

A segunda parte seguiu uma toada semelhante e, à entrada para os últimos dez minutos, poucos já acreditariam num milagre e menos ainda considerariam que o Benfica tinha feito tudo para bater um adversário limitado.

Publicidade

Mas o milagre apareceu, numa bola parada e concretizada como se fosse um lance de um jogo de futebol do recreio de uma Escola Básica, entre meninos de 7 e 8 anos. Derley desviou de forma inconsequente o livre batido da esquerda e a bola atravessou a pequena área para o poste contrário, mesmo em frente à baliza e sem a oposição de ninguém do Mónaco, e onde Talisca não teve dificuldade em bater Subasic.

No outro jogo do grupo, o Bayer Leverkusen bateu o Zenit por 2-1 em S. Petersburgo, em mais um resultado um tanto decepcionante para a equipa de André Villas Boas. Os alemães têm agora 9 pontos de vantagem e o apuramento praticamente assegurado, enquanto atrás de si a luta é agressiva entre as três equipas treinadas por portugueses: o Mónaco com 5 pontos, o Zenit com 4 e o Benfica também com 4.