Cristiano Ronaldo, ao empurrar a bola para o fundo da baliza da Arménia na noite de ontem, poderá ter dado o último e grande passo para a reconquista da Bola de Ouro 2014. Com este golo, o jogador do Real Madrid fez muito mais do que dar apenas a vitória e os respectivos três pontos a Portugal. Tornou-se, aos 29 anos, e ainda com muitos jogos a disputar pela frente, o melhor marcador de sempre em Europeus de Futebol. Este era daqueles recordes que era apenas uma questão de tempo e o madeirense não tinha dúvidas.

"É mais um recorde. Sabia que isto ia acontecer mais cedo ou mais tarde, até porque tenho muitos jogos para disputar". Já sobre a Bola de Ouro, Cristiano mostra-se confiante mas despreocupado, "o que tinha a fazer já fiz, ganhei títulos importantes e bati outros recordes. Estou bem lançado, mas não estou obcecado com isso. Estou tranquilo". O português passou a ser o melhor marcador de sempre em Europeus de Futebol (somatórios de golos em Qualificações + Fases Finais). Ronaldo soma agora 23 golos e superou o dinamarquês Jon Dahl Tomasson, que aos 38 anos já abandonou os golos e dedica-se à carreira de treinador. Tomasson é o actual treinador do Roda da Holanda.

Quanto ao jogo, Portugal entrou ontem em campo frente à Arménia com a responsabilidade de não poder perder pontos e desde cedo quis mostrar em campo a sua condição de favorito. Há alguns anos, este seria apenas mais um encontro para ver quanto tempo o adversário aguentava o 0-0, ou mesmo para ver a que números conseguiríamos elevar a nossa goleada. Hoje em dia já não é assim. A Arménia, apesar das enormes cautelas defensivas, nunca deixou de tentar e por diversas vezes chegou mesmo a assustar Patrício e companheiros.

A lembrança recente de adversários como a Albânia começava a pairar sobre os adeptos mas desta vez os valores individuais (muito) superiores de Portugal conseguiram encontrar o caminho da vitória. Ainda assim, Portugal foi um justíssimo vencedor. Valeu-nos "O Senhor dos Recordes" e, diga-se em abono da verdade, Ricardo Quaresma. #Selecção #Euro2016